Cela de prisão
Pixabay
Presos fazem parte do grupo que passará a ser testado

O governo de São Paulo vai começar a realizar até o dia 15 de maio  testes rápidos em novos grupos populacionais para identificar possíveis contaminações pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) no estado.

Entre os grupos que serão alvo dessas novas etapas de testagem estão funcionários da Secretaria de Segurança Pública, da Saúde, detidos do sistema prisional comum e da Fundação Casa, além de doadores de sangue e pessoas que estão em abrigos, casas de repousos e comunidades terapêuticas.

As testagens serão feitas independentemente dessas pessoas terem tido contato com infectados ou não e será dividida em fases. Nessa primeira serão realizados cerca de um milhão de exames, dos quais 500 mil estão sendo comprados pelo Instituto Butantan e os demais vieram do Ministério da Saúde.

Leia também: Justiça do Maranhão determina lockdown de 10 dias em quatro cidades

Nas fases seguintes, será contemplado quem teve contato com pacientes internados e os assintomáticos identificados pela vigilância epidemiológica. Se tiverem sintomas, serão testados pelo RT-PCR. Em casos de sintomas durante mais de 14 dias, pelo teste rápido.

Os testes RT-PCR são os mais precisos atualmente. Eles são realizados por meio da coleta de material da garganta e o resultado é obtido pela análise desse material. O resultado é positivo se houver material genético do novo coronavírus.

Outro tipo de teste é o por sorologia, no qual é coletada uma amostra se sangue do paciente para verificar se há presença de anticorpos no organismo. Esse tipo de teste se torna mais preciso à medida que o tempo passa a partir da data de contaminação.

Leia também: Distanciamento permanece como orientação, diz Teich

Já o testes rápidos são dois. Um deles é o de antígenop, que detecta proteínas do na fase de atividade da infecção. O outro é o de anticorpos, que identifica uma resposta imunológica do corpo em relação ao vírus. A vantagem desses testes seria a obtenção de resultados rápidos para a decisão da conduta.

Seu uso, no entanto, é o menos recomendado pela possibilidade maior de o resultado ser falso negativo. Diferente do teste por sorologia, ele é realizado de maneira semelhante a um teste de gravidez.

    Veja Também

      Mostrar mais