Em nota, a entidade afirma que os conflitos causados pelo chefe do Executivo retardam as tomadas de decisões e ocasionam mais vítimas da doença
Agência Brasil
Em nota, a entidade afirma que os conflitos causados pelo chefe do Executivo retardam as tomadas de decisões e ocasionam mais vítimas da doença

A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) emitiu nesta quarta-feira (29) um comunicado responsabilizando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo aumento das mortes pela Covid-19.

Por meio da nota, a FNP, que representa nacionalmente os prefeitos de todo o País, afirmou que os conflitos causados pelo chefe do Executivo retardam as tomadas de decisões e ocasionam mais vítimas da doença.

Na terça (28), Jair Bolsonaro disse que disse não fazer milagres ao ser questionado sobre a morte de 5 mil brasileiros e que as cobranças sobre elas devem ser feitas a governadores e prefeitos que adotaram medidas de isolamento.

"Lamentamos muito, não só as mortes, mas também os conflitos promovidos pelo Presidente, que só exaurem as pessoas e o debate político, retardando as tomadas de decisões e ocasionando ainda mais vítimas", diz trecho da nota da federação.

Você viu?

Bolsonaro diz que não desistirá de Ramagem na PF

"Quando ultrapassamos os 5.000 cidadãos brasileiros mortos, a pessoa que deveria liderar o enfrentamento da pandemia pergunta o que querem que ele faça. Os prefeitos respondem: Presidente, cumpra seu papel constitucional de harmonizar a federação".

A nota pede que Bolsonaro "cumpra suas responsabilidades com o futuro do País, que está sem rumo e no auge de uma calamidade sanitária".

Covid-19: Mortes no Brasil chegam a 5,4 mil; casos confirmados são 78 mil

"Nós, prefeitos das médias e grandes cidades, temos muito o que fazer e estamos fazendo, com dificuldades e muitas vezes sem o devido apoio do governo federal", diz a nota, assinada pelo presidente da entidade, o prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB).

Veja a nota da FNP na íntegra


“A cada dia nos deparamos com uma nova declaração contra prefeitos e governadores. Quando ultrapassamos os 5.000 cidadãos brasileiros mortos, a pessoa que deveria liderar o enfrentamento da pandemia pergunta o que querem que ele faça.

Os prefeitos respondem: Presidente, cumpra seu papel constitucional de harmonizar a federação. Cumpra suas responsabilidades com o futuro do país, que está sem rumo e no auge de uma calamidade sanitária global.

Nós, prefeitos das médias e grandes cidades, temos muito o que fazer e estamos fazendo, com dificuldades e muitas vezes sem o devido apoio do governo federal.

Temos a ciência e os profissionais da saúde como aliados e queremos registrar que cada vida importa. Cada uma dessas perdas, para nós, tem rosto, tem história e traz dor.

Lamentamos muito, não só as mortes, mas também os conflitos promovidos pelo Presidente, que só exaurem as pessoas e o debate político, retardando as tomadas de decisões e ocasionando ainda mais vítimas.”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários