Angela Merkel, chanceler alemã
World Economic Forum/Ciaran McCrickard
Angela Merkel, chanceler alemã

A Alemanha é constantemente citada como exemplo de país que obteve sucesso no combate ao novo coronavírus (Sars-CoV-2). Mesmo sendo a quinta nação mais afetada pela doença no mundo, o país liderado pela chanceler Angela Merkel ostenta números bem inferiores de mortes na comparação com Espanha, Itália, França e Estados Unidos. 

LEIA MAIS: Pará chama médicos cubanos para ajudar no combate da Covid-19

Mas de acordo com a própria chanceler, a Alemanha pode estar comprometendo tais resultados contra a Covid-19 se a reabertura for muito rápida. Para Angela Merkel , isso deverá ser feito de forma gradual.

“Ainda estamos no começo da crise do coronavírus, e teremos que conviver com ele por muito tempo”, disse Merkel ao parlamento alemão. “Ninguém quer ouvir isso, mas é a verdade. Não estamos na etapa final da crise”. 

Após dias de negociação, o governo federal acatou a decisão dos estados de, gradualmente, afrouxar algumas das restrições de isolamento social. Segundo a chanceler, a ação pode ser precipitada. “O resultado que temos é frágil. Estamos andando em uma fina camada de gelo”, advertiu Merkel.

Até o momento, a Alemanha registra 5,3 mil óbitos pela Covid-19, com 151 mil infectados. O número de mortes chama atenção por ser inferior aos resultados de Estados Unidos (48 mil), Itália (25 mil), Espanha (22 mil) França (21 mil).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários