jaleco de médico com estetoscópio envolta do pescoço
Creative Commons/Pixabay
Durante pandemia da Covid-19, enfermeiros são infectados por falta de EPIs no país


No Brasil, diversos profissionais do setor de enfermagem estão afastados ou foram mortos pela Covid-19 . Segundo levantamento do Conselho Federal de Enfermagem ( Cofen ), o país registrava 4 mil desses profissionais longe do trabalho - sendo que deles, 3,5 mil estão em investigação, enquanto 552 testaram positivo para Covid-19. Até o último dia 15, ocorreram 30 mortes na área da enfermagem.

A falta de Equipamentos de Proteção individual (EPIs) é apontado como principal motivo para o alto número de afastamentos de enfermeiros . O Cofen recebeu, ao menos, 4,8 mil denúncias por falta de equipamentos próprios. Em um período de 10 dias, os casos suspeitos ou confirmados saltaram de 230 a 4.089.

Leia também: Dois enfermeiros morrem de Covid-19 na zona leste de São Paulo

O Cofen informa que existem mais de 2,2 milhões de enfermeiros, técnicos e auxiliares registrados em todo Brasil. O desfalque começa a preocupar e é considerado que, apesar da gravidade, mais profissionais de saúde sejam contratados para cobrir afastamentos ou enfermeiros que estão na linha de frente, mas pertencem a grupos de risco.

“Os dados [de afastamento] refletem o avanço da pandemia e têm nos preocupado muito”, afirma o conselheiro federal Gilmey Guerra. Segundo ele, algumas denúncias citam orientações para que máscaras N95 sejam reutilizadas. Além disso, essas máscaras são feitas de material duvidoso. “Se a pandemia avança e não temos EPI , a tendência é ter um maior número de profissionais contaminados e mais afastamentos", diz.

Leia também: "Me passou Covid-19", diz enfermeiro ao explicar por que matou namorada médica

Além da orientação de reutilização de máscaras, alguns hospitais pedem para que os próprios enfermeiros comprem os equipamentos de segurança. "Fala-se muito que os profissionais de saúde são heróis, mas é preciso lembrar que o herói adoece, precisa de EPI para trabalhar, e precisa ser respeitado nas suas limitações", diz Guerra.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

A explicação do Ministério da Saúde é de que os materiais estão sendo importados da China que, por conta do avanço da pandemia, parou sua produção. Agora, o mundo inteiro está em busca dos mesmos materiais. A alta demanda e os poucos produtos disponíveis tornam os materiais mais escassos.

    Veja Também

      Mostrar mais