Witzel arrow-options
DIVULGAÇÃO/GOVERNO DO RIO DE JANEIRO
Governador do Rio, Wilson Witzel


O Centro de Operações do Rio (COR), administrado pela Prefeitura da cidade, aponta queda na adesão da população carioca ao isolamento social, depois de ter passado um mês da adoção de medidas de restrição da circulação no Rio de Janeiro, exceto para profissionais de serviços essenciais.

Com um cenário de avanços dos casos no estado - 5 novas cidades registraram casos do novo coronavírus (Sars-cov-2) nos últimos seis dias -, o governado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel , pretende enviar ao Congresso um projeto para “aplicação de multa e de medidas penais severas” a quem descumprir a quarentena.

Leia também: Preso por matar filho de um ano, homem é encontrado morto em cela

Witzel decidiu recorrer à esfera federal pois compreende que a livre locomoção no território nacional é um direito civil, portanto, cabe à união decidir sobre o endurecimento das leis. A cidade do Rio de Janeiro estabilizou o uso do transporte coletivo com cerca de 70% menos passageiros do que o comum.

"Vou consultar a bancada de deputados federais e também levar o assunto ao Fórum de Governadores. Penso que o Congresso pode aprovar uma nova lei prevendo imposição de multas e medidas penais mais severas", disse o governador ao jornal O Globo. Witzel disse ainda que irá manter as barreiras nas estradas e que as cidades com casos de Covid-19 precisam obrigatoriamente seguir o decreto de restrição da circulação.

A cidade do Rio de Janeiro chegou a registrar 84% de isolamento nas primeiras semanas de marços, assim que foram adotadas as medidas restritivas, mas esse percentual caiu para 80% na semana passada após ordens conflituosas entre os governantes. As autoridades cariocas estão em alerta por conta na queda de adesão.

    Veja Também

      Mostrar mais