celular
Pixabay/Creative Commons
Geolocalização não revela dados individuais de mobilidade, mas acusa aglomerações pela cidade em mapa de calor

Atendendo o pedido do presidente Jair Bolsonaro , o ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Marcos Pontes, afirmou que o governo federal irá adiar a utilização dos dados dos celulares para monitorar deslocamento durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). 

LEIA MAIS: Gilmar Mendes elogia Mandetta e critica inexperientes do governo

Alguns estados vinham utilizando dados dos celulares para monitorar o deslocamento das pessoas pela geolocalização, para conter aglomerações. “O presidente me ligou e solicitou prudência com essa iniciativa, e que a ferramenta só fosse utilizada após análises extras pelo governo”, diz Pontes. 

“Assim, determinei que o vídeo e outros posts fossem retirados das redes sociais até o término das análises extras e aprovação final do governo. A ferramenta será utilizada apenas se garantir eficiência e proteção da privacidade dos brasileiros”.

Estados seguem monitorando

O ministro ainda ressaltou que dados particulares sobre a mobilidade não serão revelados, e que os governos estaduais têm autonomia para fechar acordos com as operadoras de telefonia móvel. O sistema tem a finalidade de monitorar pontos de aglomeração, como em um mapa de calor. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários