Famílias de baixa-renda receberão alimentos durante período de pandemia arrow-options
Eduarda Esteves/iG
Cestas básicas

Doria anunciou em coletiva nesta terça-feira (7) a criação da campanha Alimento Solidário , que distribuirá 1 milhão de cestas básicas para famílias em situação de extrema pobreza durante pandemia do novo coronavírus. Programa deve atender 4 milhões de pessoas.

Para a viabilização, foi investido o valor de  R$ 110 milhões , doados integralmente pelo setor privado. A cesta contém arroz, feijão, farinha, fubá, molho de tomate, entre outros alimentos e foi montada por equipe de nutricionistas do hospital Albert Einstein.

Veja também: Prefeitura do Rio cria regras para usar cloroquina em tratamento de Covid-19

Receberão as cestas famílias integrantes do cadastro nacional de assistência sociale que possuem renda percapita de até R$ 89 mensais. Os alimentos começarão a ser distribuídos a partir do dia 17 de abril.

Doria anunciou ainda que doará seu “modesto salário” de R$ 85 mil para a campanha.

“Pedi que meus salários de março, abril, maio, junho e julho fossem doados para uma entidade, e que ela destinasse o valor para a compra de cestas do Alimento Solidário. O valor é modesto, são R$ 85 mil reais, o valor líquido dos salários que eu recebo, mas é um exemplo para que outras pessoas possam, ainda de maneira modesta, também contribuir para a compra da cesta do alimento solidário para quem nada tem”, disse.

Leia também: Mandetta diz ao povo que fica. Será que a crise política foi mesmo resolvida?


    Veja Também

      Mostrar mais