O Ministério da Saúde pretende, a partir da próxima segunda-feira (13), fazer uma transição do isolamento social para o distanciamento seletivo, uma quaretena mais flexível, em cidades onde o número de casos de Covid-19 não ultrapassar mais de 50% dos leitos de seu sistema de saúde.

Leia também: Covid-19: "teste do vinagre" ajuda a identificar pacientes assintomáticos

homem estereliza ambiente em meio à pandemia de Covid-19
Agência Brasil / Marcelo Camargo
homem estereliza ambiente em meio à pandemia de Covid-19

As cidades que se enquadrarem neste cenário vão poder liberar a circulação da maioria das pessoas e até a abertura do comércio, impondo restrições para apenas alguns grupos, normalmente aqueles com mais risco de serem infectados pela Covid-19 .

Leia também: Oito funcionários da saúde de São Paulo morrem; um foi por Covid-19

"Pessoas abaixo de 60 anos podem circular livremente, se estiverem assintomácos [sem sintomas]", afirma o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde detalhando a medida, frisando que um dos objetivos é "promover o retorno gradual às atividades laborais com segurança, evitando uma explosão de casos sem que o sistema de saúde local tenha tempo de absorver".

Leia também: Complexo do Ibirapuera receberá hospital de campanha contra Covid-19

Neste caso, apenas idosos e pessoas com doenças crônicas ou condições de risco, como obesidade e gestação de risco, deverão permanecer em caso. O Brasil registrava, até a última segunda-feira (07), 553 mortes por Covid-19  e 12.056 casos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários