Sem esperar alguma decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), os indígenas começaram a adotar medidas para conter o novo coronavírus (Covid-19). Bloqueando estradas e expulsando garimpeiros, ao mesmo tempo, a classe cobra ações do governo federal para protegê-los e combater o garimpo ilegal.

Leia também: Brasil melhora posição em ranking mundial de combate a Covid-19

Bloqueio em acesso ao Xingu%2C no Mato Grosso
Divulgação
Bloqueio em acesso ao Xingu, no Mato Grosso

Em Roraima, indígenas  bloquearam estradas de acesso a comunidades. Em Mato Grosso, também há barrareiras para impedir a entrada na região do Xingu. Na Divisa do Amazonas com Roraima, os waimiri-atroaris suspenderam a vigilância da BR-174 (Manaus-Boa Vista), que corta o território.

Leia também: Comissão da Câmara tem novas propostas de combate à Covid-19

“Temos esse passado em que as epidemias dizimaram povos indígenas, que até hoje não se recuperaram. As comunidades não querem mais passar por isso”, afirma Ianukula Kaiabi Suia, presidente da Associação Terra Indígena do Xingu , à Folha .

Leia também: Empresário com Covid-19 recebe amigos em festa na piscina

A primeira e única indígena infectada pela Covid-19 é uma agente de saúde de 20 anos do povo kokama. Ela foi contaminada por um médico recém-chegado do Paraná, pela Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), instituição vinculada ao Ministério da Saúde . Atualmente ela está isolada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários