Eduardo Paes
Brenno Carvalho / Agência O Globo
Ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes foi absolvido

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (MDB) foi absolvido pela justiça estadual da acusação de fraude por contratos de serviços médicos no período da Jornada Mundial da Juventude, que aconteceu na capital fluminense em 2013 e contou com a presença do Papa Francisco.

Leia também: Dilma diz que 'nunca ouviu falar' de conta no exterior aberta por Joesley

Paes compartilhou o resultado em seu perfil no Instagram. "Eu nunca fujo de dar satisfação à população quando sou acusado de qualquer coisa. Mas, não posso deixar de registrar também quando falsas acusações caem por terra. Quando aconteceu a denúncia, inclusive com meu bloqueio de bens, eu sofri todo tipo de acusações, como se condenado já fosse e tivesse de fato cometido o crime", disse o ex-prefeito . “Mais uma inverdade caindo por terra! Segue o baile!", escreveu, completando.

Ver essa foto no Instagram

Mais uma inverdade caindo por terra! Segue o baile!

Uma publicação compartilhada por Eduardo Paes (@eduardopaes) em

Na ocasião, a Prefeitura do Rio de Janeiro absorveu os custos do evento da Igreja Católica após o Instituto JMJ declarar, dias antes do evento, que não tinha como pagar as despesas. Os valores de realização da Jornada assumidos pela prefeitura chegaram a R$ 7,5 milhões.

A juíza que proferiu a sentença, Ana Helena Mota Lima Valle, da 26ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, entendeu que os recursos empenhados pela Prefeitura não feriam a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ela também considerou que a Jornada Mundial da Juventude se configura como evento público.

Ela destacou que houve "claro interesse público no atendimento médico pré-hospitalar em um evento de grande porte".  Isso foi essencial para considerar a inexistência de indícios que comprovassem desvio de finalidade no emprego dos recursos públicos.

Leia também: Advogada de Bolsonaro minimiza pandemia de Covid-19: "Todos vão pegar"

Além de Eduardo Paes , outras seis pessoas foram absolvidas no mesmo caso: Hans Fernando Rocha Dohman, João Luiz Ferreira Costa, Flavio Carneiro Guedes Alcoforado, Mario Luiz Viana Tiradentes, Leonardo Pan Monfort Mello e Daniel Eugenio Scuoteguazza Clerici. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários