Marquês de Sapucaí
Hudson Pontes / Prefeitura do Rio
Marquês de Sapucaí

A prefeitura do Rio de Janeiro começa a acolher moradores de rua em abrigos montados no Sambódromo a partir da próxima segunda-feira (30). Os alojamentos estão sendo montados em salas de aula das escolas instaladas na Marquês de Sapucaí que estão sendo adaptadas para acolher até 500 pessoas. Camas e outros itens para equipar o abrigo serão instalados neste sábado, dia 28. Na segunda-feira, serão abertas 60 vagas para homens.

No início da tarde, em uma entrevista no Riocentro, o prefeito Marcelo Crivella chegou a afirmar que o Sambódromo já começaria a receber moradores de rua nesta sexta-feira ou no máximo no sábado. Mas faltavam detalhes para concluir a logística. Além da Sapucaí, a Secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos está preparando um abrigo masculino no Santo Cristo. Equipes estão nas ruas tentando convencer a população de rua a aceitar o abrigamento.

Leia também: No Brasil, há 92 mortes por covid-19 e 3.417 casos

Neste sábado, as instalações do Santo Cristo vão estar abertas para quem desejar tomar banho e almoçar. E servirá de abrigo a partir da próxima semana, segundo a secretária de Assistência social e Direitos Humanosm Tia Ju.

Nesta sexta-feira, Crivella diz que ainda não descartou a possibilidade de uma retirada compulsória dos moradores de rua devido ao risco de adoecerem com a epidemia.

"Mas essa é uma questão que dependeria da Justiça e está em análise pela Procuradoria Geral do Município", disse o prefeito.

Quase metade dos idosos foram vacinados no Rio

A secretária municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch, também fez um balanço sobre a vacinação dos idosos. Segundo ela, de uma população-alvo de 836 mil pessoas acima de 60 anos, quase a metade já foi vacinada em menos de uma semana de campanha. Os dados estavam consolidados até a quinta-feira.

Você viu?

"Consolidamos os dados sobre a vacinação contra a influenza. Já chegamos a 450 mil pessoas vacinadas. Sendo 400 mil idosos em quatro dias . As atividades dos postos drive-thru permanecerão, bem como o atendimento em domicílio (dos postos de saúde da família) que vacinou mais de 13 mil pessoas em casa. Além disso, três mil profissionais de saúde se cadastraram para receber doses da vacinas e aplicar em vizinhos e clientes", disse a secretária de Saúde.

Leia também: "Na cadeia, só se fala em coronavírus", diz homem solto por causa da epidemia

Ela lembrou que o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (Acari) escolhido para ser referência no atendimento aos pacientes do coronavírus terá 381 leitos, sendo que 200 de terapia intensiva.

"Cerca de um terço desses leitos já estão ativos, com equipamentos para esses leitos críticos. Aguardamos agora recursos do Estado para equipar os demais leitos", disse a secretária.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários