Aglomerações Metrô Rio
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Passageiros enfrentaram filas nessa segunda-feira (23)

As medidas para tentar acabar com aglomerações nos transportes públicos do Rio a fim de conter a disseminação do coronavírus acabaram provocando o efeito contrário em alguns pontos. Na manhã desta segunda-feira, primeiro dia útil de isolamento da capital, filas se formaram em estações de trem e metrô .

Leia também: Políticos de oposição criticam MP de Bolsonaro

Na Baixada Fluminense, centenas de pessoas recorreram à estação de Nova Iguaçu da SuperVia. Uma fila de cerca de 400 metros se formou para chegar à passarela onde era feita a triagem das pessoas que poderiam embarcar – apenas profissionais da saúde e os que prestam serviços considerados essenciais estão autorizados. As pessoas ficaram a uma pequena distância uma da outra.

O cenário se repetiu na Pavuna, na Zona Norte da capital. Antes das 6h30 centenas de pessoas esperavam para subir a passarela e entrar na estação – que é a terminal da Linha 2 do MetrôRio – onde saberiam se seriam ou não autorizadas a embarcar. A aglomeração no local só começou a diminuir após cerca de três horas.

Diante desse problema, o secretário estadual de Transportes admitiu que vai rever os métodos para evitar aglomerações . Em entrevista ao "Bom Dia Rio" desta segunda, Delmo Pinho disse que estão sendo providenciados sistemas de papa-fila e alto-falantes. Ele disse ainda que a restrição de acesso em algumas estações está sendo analisada e soluções estão sendo buscadas, uma vez que passageiros acabam recorrendo a outros pontos de embarque.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários