Governo anunciou ampliação de medidas de combate ao coronavírus, em São Paulo
Governo de São Paulo / Divulgação
Governo anunciou ampliação de medidas de combate ao coronavírus, em São Paulo

Foi anunciado pelo Governo de São Paulo, nesta quinta-feira (12), as novas medidas de combate ao novo coronavírus . Diante do quadro atual, que conta com 46 casos confirmados no Estado, Doria anunciou ampliação das medidas de enfrentamento, sendo a principal delas a disponibilização de mil novos leitos de UTI . O governador, no entanto, reforçou que não há razão para pânico e nem para a tomada de medidas drásticas.

A prioridade, por enquanto, será garantir atendimento rápido e de qualidade aos pacientes mais suscetíveis ao quadro grave do coronavírus, isto é, pessoas com idade superior a 60 anos, portadores de doenças graves e imunodepremidos, e pacientes que realizam tratamento com quimioterapia.

Veja também: Alesp aprova projeto que fixa multa de R$5 mil para quem divulgar Fake News 

Além da apresentação dos novos leSitos e da definição de prioridades, Doria negou a necessidade de medidas de exceção , como suspender atividades em escolas e repartições públicas. Sendo assim, os eventos culturais, esportivos e religiosos que reúnem grande público estão mantidos em todas as regiões do estado. 

“Não é uma decisão de ordem política, o instinto de um governador ou uma medida de ordem administrativa. É de ordem sanitária e de saúde pública. Com o devido cuidado para não levar pânico para a população e nem antecipar processos [de isolar toda a população], porque os efeitos são extremamente nocivos para a vida das pessoas e a economia de uma região ou país. Temos que tratar disso com bom senso, equilíbrio e avaliações diárias. Não é razoável paralisar, de maneira precipitada, um Estado com quase 46 milhões de habitantes”, afirmou o Governador.

Saiba mais:  Congresso avalia interromper trabalhos por causa de coronavírus

O médico infectologista David Uip , que coordena o Centro de Contingência do Coronavírus , concordou com a decisão do Governo do Estado e reforçou a necessidade de atenção aos cuidados diários para evitar que a situação saia do controle. “Não tem sentido você fechar o Estado de São Paulo porque há 46 casos confirmados. Mas essa é a decisão para o dia 12 de março”, completou.

    Veja Também

      Mostrar mais