CPTM
Divulgação/CPTM
Número de casos cresceu nos últimos anos.

Dados da pesquisa "Viver em São Paulo - Mulher", divulgada na última terça-feira (3), pela Rede Nossa São Paulo, mostram que os relatos de assédio no transporte público da capital paulista aumentaram 18% em 2020.

Leia também: Augusto Heleno diz não saber se Carlos Bolsonaro queria criar Abin paralela

Os dados de 2020 foram comparados aos de 2018 e 2019. Em cada ano, foram entrevistadas cerca de 400 mulheres de diferentes etnias, idades, escolaridade e classes sociais. Em 2018, 25% das entrevistadas disseram ter sofrido assédio no transporte. Esse número aumento para 43% em 2020. Em 2019, 38% das mulheres relataram casos de assédio.

Em 2018, a lei contra importunação sexual entrou em vigor. Ela criminaliza a realização de atos libidinosos como toques inapropriados. Quem for pego infringindo a lei pode ser condenado a até cinco anos de prisão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários