Crivella
Fabiano Rocha / Agência O Globo
Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, enviou a proposta para a Câmara dos Veradores.

O prefeito Marcelo Crivella enviou, nesta quarta-feira, um projeto de lei para a Câmara dos Vereadores para aumentar o número de táxis no município do Rio de Janeiro. Segundo o documento, o número de carros circulando deverá seguir a proporcionalidade de 1 para cada 150 habitantes, enquanto hoje essa taxa é de 1 para 193.

Leia também: Relatos de assédio no transporte público de São Paulo crescem 18% em 2020

Dessa forma, considerando a quantidade de 6.320.446 habitantes (Censo 2010), o número de táxis passaria de 32.748 para 42.136. Seriam 9.387 veículos a mais nas ruas do Rio. Além disso, na prática, a mudança poderá representar quase 30 mil motoristas a mais, já que um taxista pode indicar até dois auxiliares. Crivella, durante evento oficial nesta quarta-feira, destacou que o projeto considera os aplicativos como uma das causas para a mudança.

"É uma decisão que vai ser debatida na Câmara de Vereadores . Hoje nós temos um problema sério que é a sobrevivência do motorista de táxi na competição com os aplicativos. A população usa muito os aplicativos, e é um direito dela. Não dá mais para o taxista pagar diária. Qual a única maneira do taxista não pagar diária? É ele ter autonomia. E é isso que a Câmara está votando agora. Vamos ver a decisão que vão tomar.".

De acordo com o texto, que altera a Lei Complementar nº 159, que regulamenta o serviço público de transporte individual remunerado de passageiros e a profissão de taxista, a proposta visa a "aumentar o número de distribuição de autonomias de táxis na cidade para fazer frente a uma atualização legislativa e necessária que vige desde 201, ou seja há quase cinco anos sem qualquer revisão."

Reajuste elevou tarifa para 2020

O valor das tarifas passou por reajuste no fim do ano passado. Para 2020, o preço do valor inicial da corrida é de R$ 6. A bandeira 1, referente ao período das 6h às 21h de segunda-feira a sábado, foi de R$ 2,60 a R$ 2,65; e a bandeira 2, que cobre o período noturno, domingos e feriados, além de subidas íngrimes, foi de R$ 3,12 para R$ 3,18. A tarifa de hora parada ou de espera foi fixada em R$ 33,39, e a de volume transportado, ficou em R$ 2,65.

    Veja Também

      Mostrar mais