Macumba
Reprodução
Cosme Roberto dos Santos foi preso por crimes como homicídio, extorsão e tráfico de drogas

O traficante Cosme Roberto dos Santos, o Macumba, condenado a uma pena de 73 anos de prisão por crimes como homicídio, extorsão mediante sequestro e tráfico de drogas, fugiu da cadeia e está foragido. Santos estava preso há 25 anos e, em 13 de agosto do ano passado, ganhou, da Justiça, autorização para trabalhar fora da cadeia.

Leia também: Bolsonaro ataca imprensa e usa "fake news" para explicar vídeo compartilhado

Ele havia sido contratado para trabalhar numa empresa de Educação à Distância, na Penha, zona norte do Rio, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Treze dias depois, o traficante , entretanto, deixou o Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, onde cumpria pena no regime semiaberto, e não mais voltou.

Em setembro de 2019, o juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da Vara de Execuções Penais (VEP), determinou a expedição de um mandado de prisão contra o traficante. Santos foi preso em 1995. Na ocasião, ele era apontado pela polícia como chefe do tráfico do Morro da Mineira, no Catumbi, Centro do Rio.

Quando foi preso , pela Divisão Antissequestro (DAS), Santos era suspeito de envolvimento no sequestro de John Mendes Reis, filho do então deputado estadual Albano Reis. À época, John tinha 14 anos e havia sido capturado por criminosos quando deixava um baile funk no Morro Chapéu Mangueira, no Leme, Zona Sul. Após a prisão de Santos, o adolescente foi liberado mesmo sem o pagamento do resgate. A polícia havia descoberto que a quadrilha de sequestradores era oriunda do Morro da Mineira, dominado por Cosme.

Os sequestradores anunciaram ao adolescente que o libertariam na noite de 25 de junho, logo após o John ter escutado, pelo rádio, a final do Campeonato Carioca entre Flamengo e Fluminense, que terminou com a vitória do Flu com gol de barriga de Renato Gaúcho. Ele permaneceu 15 dias no cativeiro. Após a libertação do adolescente, o delegado Hélio Luz, então titular da DAS, exaltou a atuação da polícia no caso.

"Quando a polícia joga na dura (sem acertos com os bandidos), a gente pega os caras. Quando isso acontece, é a melhor polícia do mundo", disse Luz à imprensa.

Leia também: Anistia Internacional critica Witzel e põe caso Marielle entre problemas do país

Na cadeia , Santos já cometeu três faltas graves e chegou a ficar em isolamento, com visitas suspensas por 30 dias em 2007. Em 2011, recebeu um elogio do diretor da Penitenciária Gabriel Castilho por ter trabalhado numa obra na unidade: "O diretor elogia, o interno uma vez que trabalhou, com dedicação e esmero, na reforma do patio de visita e da sala da Defensoria, nos mostrando assim, que é possivel a ressocialização e a reintegração a sociedade". Estava prevista para outubro de 2025 a progressão do traficante para o regime aberto.

    Veja Também

      Mostrar mais