Bidi
Reprodução/Instagram
Alcebíades Paes Garcia foi morto a tiros, na madrugada desta terça-feira, na Barra da Tijuca

A Polícia Civil informou, nesta quinta-feira (27), que o laudo do exame cadavérico de Alcebíades Paes Garcia, o Bidi, irmão do falecido bicheiro Waldemir Paes Garcia, o Maninho, confirmou que a vítima foi atingida por 22 disparos de arma de fogo. O calibre utlizado na  morte de Bidi não foi divulgado . De acordo com as investigações, estão sendo analisadas imagens do persurso que Bidi fez, desde que deixou o Sambódromo, no Centro do Rio, até o local em que ele foi executado, na Avenida Jornalista Henrique Cordeiro, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Leia também: Duelo de Godzillas! Vídeo mostra batalha entre dragões-de-Komodo na Indonésia

A previsão é a de que um segurança de Bidi, que já teria sido intimado, preste depoimento na Delegacia de Homicídios da Capita, nesta quinta-feira. A especializada ainda busca informações sobre o carro utilizado pelos assassinos do irmão do bicheiro Maninho.

Alcebíades Paes Garcia foi morto , na madrugada da terça-feira de carnaval, quando saia de uma van que o levou com outras seis pessoas, até um prédio da Barra da Tijuca. Dois seguranças que seguiam em um carro atrás da van, não teriam conseguido evitar a ação dos assassinos.

Os disparos feito pelos assassinos também atingiram a fachada de um portão e um carro que estava estacionado em uma calçada. Os bandidos fugiram logo após o crime.

Leia também: Professor é demitido após levar queda tentando dar aula bêbado; veja vídeo

A polícia investiga a hipótese de que o crime esteja ligado a disputa do espólio do falecido bicheiro Waldomiro Paes Garcia, o Miro, pai de Bidi e de Maninho. A fortuna inclui controle sobre pontos de bicho e máquinas de caça-níqueis.

    Veja Também

      Mostrar mais