Professores recebem ajuste salarial
Revista educação
Professores recebem ajuste salarial

Os professores da rede estadual de São Paulo receberão, a partir de março, um abono salarial de até 12,84% . Apesar de disponível apenas a partir do próximo mês, o valor atualizado abarcará também os salários de janeiro e fevereiro, que serão pagos de forma retroativa.

No total, 260.142 mil docentes, ativos e inativos, se beneficiarão do reajuste, que fará com que a remuneração dos profissionais atendam ao piso nacional para professores da educação básica, estabelecido pela Lei do Piso (Lei nº 11.738/2008).

Leia também: Ex-conselheiro de Trump é condenado a 3 anos de prisão

Os professores que lecionam para alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, com carga horária de 40 horas semanais, sairão de uma remuneração mensal de R$ 2.577,74 para R$ 2.886,24, valor do piso salarial.

Já o salário dos docentes que atendem alunos dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio, saltará de R$ 2.585,01 para os mesmos R$ 2.886,24, previstos por lei.

Para viabilizar o aumento salarial, será feito um investimento de R$ 590,6 milhões por ano, por parte do governo do estado. “O professor é peça fundamental no processo de aprendizagem. Estamos empenhados em valorizá-lo cada vez mais”, destaca o secretário de educação do Estado de SP, Rossieli Soares.

Veja também: Brasil sem fiscalização noturna em aeroportos contra coronavirus

Um plano de reestruturação da carreira docente existe desde novembro do ano passado. As diretrizes do projeto pretendem que, em 2022, o salário inicial do professor no regime de 40 horas semanais seja de R$ 3,5 mil, o que representaria um aumento de 35,4% sobre o valor que era pago até então, de R$ 2,585.

O plano pretende ainda que professores no topo da carreira cheguem a receber um salário salário de R$ 11 mil. O projeto, no entanto, ainda precisa ser encaminhado à Assembléia Legislativa de São Paulo.

    Veja Também

      Mostrar mais