Museu do Ipiranga - São Paulo
Rovena Rosa/Agência Brasil
Museu do Ipiranga

O projeto de revitalização do Museu do Ipiranga promete trazer um novo conceito de incentivo à cultura e à educação no Brasil e o público já tem época para conferir o resultado: março de 2022. A exposição inaugural do espaço deve ter início no dia 7 de setembro do mesmo ano, celebrando os 200 anos da Independência do Brasil.

As datas foram apresentadas em encontro envolvendo governo do estado e parceriais privadas, a exemplo da Fundação Banco do Brasil. Na ocasião, os patrocinadores acompanharam apresentação do cronograma e avanço das obras desde outubro de 2019, quando a revitalização teve início. Foram também apresentados detalhes de etapas importantes da intervenção, a exemplo de como os bens artísticos integrados à construção estão sendo protegidos durante esse período. 

Leia também: MP e polícia juntos contra o crime organizado é aprovado por 5 ministros do STF 

Na ocasião, a Fundação Banco do Brasil se comprometeu a doar um total de R$ 12 milhões, que serão destinados à montagem das novas exposições. Os recursos financiarão a manutenção e o restauro dos itens do acervo que serão expostos (cerca de 4 mil peças), além de garantir os gastos com toda a infraestrutura das 43 salas de exposição, contemplando iluminação e mobiliário.

O custo total da obra está estimado em R$ 139,5 milhões, e conta com recursos do Banco Safra, Bradesco, Caterpillar, Comgás, Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), EDP, EMS, Honda, Itaú, Vale, Sabesp e Pinheiro Neto Advogados, além de parceria com a Caixa Econômica Federal.

O Novo Museu do Ipiranga

Imagem ilustrativa de uma das salas de exposições do novo Museu do Ipiranga
Museu do Ipiranga/ Reprodução
Visão aérea do Museu

Inaugurado em 7 de setembro de 1895, como museu de História Natural em alusão à Independência do Brasil, o edifício-monumento tem, atualmente, uma área de 6.402 m². Com a ampliação, o novo Museu do Ipiranga receberá cerca 5.000 m², segundo a diretoria do museu paulista. Serão 5.456 m² dedicados à área expositiva, com 43 salas de exposição e cerca 1.000m² dedicados a exposições internacionais. Haverá ainda espaços para o setor educativo, auditório, café e área de convivência. 

Sobre as novas atividades culturais, já está definido que o museu terá exposições temporárias e permanentes. Segundo a coordenadora do Grupo Executivo de Museologia, a professora Vânia Carneiro de Carvalho, as futuras exposições permanentes abordarão dois eixos: "para entender o museu" e "para entender a sociedade". Para a primeira exposição temporária o tema será "Memórias da Independência". 

Veja também: Governo do DF entra com ação no Supremo para Marcola sair de Brasília 

A diretora do museu, Solange Ferraz de Lima, afirma que ações culturais e de divulgação devem ser intensificadas até a reinauguração, a exemplo de visitas guiadas no museu ainda em obras, além de oficinas, palestras e minicursos. “Nosso desafio é ampliar cada vez mais a divulgação, tanto na imprensa quanto nas redes sociais, para que a sociedade entenda a importância de um museu histórico como esse não só para a cidade de São Paulo, mas para o Brasil”, explica Solange

Vale lembrar que, além de ser um dos principais museus históricos brasileiros, o Museu do Ipiranga é também um museu universitário. Dessa forma, as atividades de ensino, pesquisa e extensão continuam normalmente e não pararam com o fechamento para visitação do público em 2013. Apenas a parte expositiva está fechada para a reforma.

    Veja Também

      Mostrar mais