Guerra de Sacolés
Reprodução
Jovens atiram sacolés nos adversários em uma das 'batalhas' no Rio de Janeiro

Uma brincadeira entre crianças e adolescentes, chamada de guerra de sacolés, vem se transformando em perigo e preocupação nas comunidades do Rio de Janeiro, que já registrou alguns casos de agressões e violência. As informações são do jornal O Dia .

Leia também: Em último discurso, Trump ataca Obama e exalta mandato: "estratégia deu certo"

Após uma 'batalha de sacolés' de rapazes de Rio das Pedras e Gardênia Azul, na zona oeste, no último domingo (2), um adolescente ficou ferido. J., de 16 anos, relata ter sido agredido com socos e chutes por um grupo de 20 rapazes. As agressões teriam ocorrido durante 15 minutos. Ele fraturou o nariz.

Apesar de não ter registrado nenhuma ocorrência, a Polícia Militar informa que os batalhões de área estão atentos às movimentações dos grupos adversários.

As contendas, porém, têm se alastrado. Três dias depois de sofrer as agressões, J. ainda sente dores pelo corpo e evita sair de casa. "Tive muito medo de morrer. Preferi não registrar na delegacia", desabafa o adolescente. Segundo ele, essa foi a primeira vez que participou da brincadeira.

"Era para ser apenas sacolés com água, mas o grupo da Gardênia chegou com sacolés cheios de xixi, fezes de cachorro e pedras. O meu grupo correu, mas eu fui para outro lado e aí me pegaram", contou.

Leia também: Doria acusa Eduardo Bolsonaro de publicar 'fake news' sobre escolas em São Paulo

Em vídeo postado nas redes sociais, é possível ver o momento em que J. é capturado. Um dos jovens chega a pedir: "Sem bater". Alguns dos rapazes estavam com as camisas enroladas no rosto e carregando mochilas. "Momentos antes, passou um carro da Polícia Civil. Nós corremos. Quando viram que eu ia desmaiar, eles saíram correndo também", lembrou o adolescente.

Após as agressões, ele diz ter buscado ajuda: "Levantei, peguei carona em um ônibus e fui sozinho para o hospital". O garoto só voltou pra casa nove horas depois da confusão: "Minha família estava toda me procurando".

Por causa do vídeo, segundo o rapaz, ele perdeu o emprego como entregador: "Não gosto de confusão. Estudo, quero ser médico. Meu recado é que parem de brincar disso, pode acabar mal", alertou o rapaz, que postou a sua foto com o nariz quebrado em uma rede social.

    Veja Também

      Mostrar mais