munições arrow-options
Bruno Kaiuca / Agência O Globo
A portaria também acrescentou vária categorias profissionais à lista dos que podem comprar até 600 munições por ano

O governo quadruplicou o número de munições permitidas para compra por civis que têm posse ou porte de arma. A quantidade máxima passou de 50 para 200 por ano a cada arma de fogo.

As novas regras foram assinadas pelos ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em portaria publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (28).

A elevação na quantidade de munições permitida chama atenção por se destinar a um público que obteve a permissão para ter arma alegando necessidade de defesa pessoal.

Leia também: Brasileiro confia mais em grupos de WhatsApp e igrejas do que no STF e partidos

A portaria também acrescentou à lista de categorias que podem comprar até 600 munições uma série de profissionais, como guardas prisionais, guardas portuários, auditores da Receita e do Trabalho. Essa quantidade era prevista, anteriormente, apenas para integrantes das Forças Armadas e policiais federais e estaduais.

    Veja Também

      Mostrar mais