Élcio Queiroz arrow-options
Reprodução/Facebook
Élcio Queiroz

O ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz , preso pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes , pesquisou os perfis de políticos filiados a partidos de esquerda no Facebook.

Leia mais: Viúva de Marielle diz que ficou 'feliz' com nova posição de Moro

Para o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), o interesse por essas contas demonstra que Élcio tinha os mesmos interesses do amigo Ronnie Lessa , sargento reformado da PM, nutrindo o mesmo ódio a nomes ligados a siglas de esquerda e movimentos sociais de defesa aos direitos humanos. Queiroz e Lessa estão presos desde março do ano passado, suspeitos do crime, na Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia, no norte do estado.

Leia também: Moro muda de opinião e agora é contra federalizar caso Marielle

As pesquisas de Queiroz no Facebook estão citadas nas alegações finais que o MPRJ entregou no dia 18 de dezembro ao juiz Gustavo Kalil, do 4º Tribunal do Júri da capital, onde tramita o processo de homicídios da vereadora e do motorista.

Em datas anteriores ao crime, ocorrido em 14 de março de 2018, o ex-policial acessou os perfis do ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e da deputada Jandira Feghali, entre outros políticos, mas não se interessou pela conta de Marielle. Para os investigadores, isso é um sinal de que o nome da vereadora só entrou na mira dos acusados cerca de 15 dias antes do crime.


    Veja Também

      Mostrar mais