Tamanho do texto

Casos começaram a ser registrados no dia 30 de dezembro. Além de um óbito, oito pessoas já foram internadas com os mesmos sintomas em Minas

rins arrow-options
Reprodução / iStock
Doença misteriosa está sendo investigada por força-tarefa mineira.

Uma força-tarefa composta por técnicos da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e CIEVS Minas, da Secretaria Municipal de Saúde de BH (CIEVS BH) e do Ministério da Saúde (EpiSUS) tenta solucionar uma doença misteriosa que já deixou oito pessoas internadas e matou uma delas em Minas Gerais.

Leia mais: Após morte de bombeiro, sobe para 26 número de mortos em incêndios na Austrália

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas, os casos começaram a ser registrados no dia 30 de dezembro, em um hospital particular de Belo Horizonte . No dia seguinte, um caso idêntico foi registrado em um hospital em Juiz de Fora e, desde então, oito casos foram contabilizados no Estado. Na noite desta terça-feira (7), o primeiro paciente veio a óbito , em Juiz de Fora.

Os sintomas da doença são insuficiência renal aguda de rápida evolução (até 72 horas), acompanhada de alterações neurológicas centrais e periféricas, como paralisia facial e borramento visual. Além das cidades de Belo Horizonte e Juiz de Fora, também foram registrados casos em Ubá e Nova Lima.

Até o momento, os pacientes são do sexo masculino, com idade entre 23 e 76 anos, e a média de dias entre o início dos primeiros sintomas e a internação foi de 2,5 dias. Exames laboratoriais estão sendo realizados na Fundação Ezequiel Dias (FUNED), mas ainda não há resultados conclusivos.

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte informou que, desde que foi notificada, acompanha e monitora os casos e investiga os aspectos clínicos, epidemiológicos e sanitários que envolvem a ocorrência. Essa investigação abrange, inclusive, ação dos fiscais sanitários na coleta de alimentos e demais produtos, para análise laboratorial , além de vistorias nos locais de aquisição desses produtos.

Leia também: Chuva forte alaga ruas e causa desmoronamentos em São Paulo

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que trabalha no levantamento de informações para verificar se o fato tem indícios de crime. As investigações estão em andamento, com a realização de entrevistas, comunicação com outras instituições públicas, entre outras providências.

Caso os sintomas apareçam, entre em contato imediatamente

A SES-MG informa que devem ser imediatamente notificados (em até 24 horas) ao CIEVS BH (casos de Belo Horizonte) e CIEVS Minas (casos do restante do estado), pelo telefone e por e-mail, os casos ocorridos a partir de primeiro de dezembro de 2019 que iniciaram com sintomas gastrointestinais (náusea e/ou vômito e/ ou dor abdominal) associados à insuficiência renal aguda grave de evolução rápida (até 72 horas) seguida de uma ou mais alterações neurológicas: paralisia facial, borramento visual, amaurose, alteração de sensório e paralisia descendente.