Tamanho do texto

Mês foi marcado por diversas tragédias no planeta e '100 dias de Bolsonaro'

Muzema arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Demolição de prédios na Muzema

Seguindo com a retrospectiva do ano, chegamos ao mês de abril. O incêndio na catedral Notre-Dame, na França, abalou o mundo, Moçambique foi atingido por outro ciclone, e, no Brasil, o desabamento em Muzema, no Rio de Janeiro, deixou 24 mortos e centenas de desabrigados.

Leia também: Retrospectiva de março: Ataque em escola de Suzano e 1 ano do caso Marielle

Ao fazer um balanço da sua pasta nos 100 primeiros dias do governo Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura citou os 23 leilões realizados, principalmente o das ferrovias. O governo arrecadou R$ 447,64 mihões com outorga em leilões de portos.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a nova Lei do Cadastro Positivo, em que empresas avaliam o risco de crédito de emrpesas e de pessoas físicas com base no histórico financeiro e comercial.

Desabamento em Muzema

Dois prédios desabaram no Condomínio Figueiras do Itanhangá, na comunidade da Muzema, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, deixando 24 mortos e centenas de desabrigados. Os prédios eram construções irregulares e ilegais que haviam sido interditados duas vezes, no final do ano passado e em fevereiro deste ano.

Leia também: Alta de Bolsonaro, condenação de Lula e mais: os fatos que marcaram fevereiro

Ciclone Kenneth

Apenas seis semanas após o ciclone Idai ter devastado parte da costa de Moçambique, o país banhado pelo Oceano Índico é novamente afetado por um fenômeno meteorológico. O ciclone Kenneth atingiu o norte de Moçambique e colocou o país em "alerta vermelho".

Incêndio na Catedral de Notre-Dame

Um incêndio destruiu a Catedral de Notre-Dame, em Paris. A catedral é dedicada a Santa Maria, mãe de Jesus Cristo, construída entre 1160 e 1345, em estilo gótico. Ao longo dos anos, a catedral foi palco de cerimônias celtas e romanas, além de ter inspirado o romance conhecido como O Corcunda de Notre-Dame, do escritor francês Victor Hugo, publicado em 1831.

Obituário

O fotógrafo Gervásio Baptista morreu em Brasília aos 95 anos. Ícone do fotojornalismo brasileiro, Gervásio captou com suas lentes a famosa foto de Juscelino Kubitschek acenando com a cartola para o povo na inauguração de Brasília, em 21 de abril de 1960.

Leia também: Retrospectiva 2019: janeiro teve posse de Bolsonaro, Brumadinho e mais; relembre

A cantora e compositora Beth Carvalho morreu, aos 72 anos, no Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro, onde estava internada desde o começo do ano. O hospital não informou a causa da morte. Com mais de 50 anos de carreira e com dezenas de discos lançados, Beth Carvalho lançou nomes como o cantor Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Almir Guineto e o grupo Fundo de Quintal.

O ex-presidente do Peru Alan Garcia, de 69 anos, tirou a própria vida após receber a ordem de prisão em sua casa, em Lima. Ele era acusado de corrupção em um caso envolvendo a empresa brasileira Odebrecht.

O matemático brasileiro Maurício Matos Peixoto, 98 anos, morreu no Rio de Janeiro. A família não divulgou a causa da morte. Em 1952, junto com os amigos Lélio Gama e Leopoldo Nachbin, Peixoto fundou o Instituto de Matemática Pura Aplicada (Impa), onde desenvolveu importantes estudos. Entre eles, destaque para o Teorema de Peixoto, que caracteriza os campos de vetores estruturalmente estáveis em variedades compactas de dimensão.

O corpo da modelo Caroline Bittencourt foi encontrado perto da Praia das Cigarras, no litoral norte paulista. Ela estava em uma embarcação com o marido, Jorge Sestini, e caiu no mar, durante uma forte tempestade.

Leia mais