escola raul brasil
Reprodução/Twitter
Massacre na escola Raul Brasil, em Suzano, aconteceu em março

O mês de março de 2019 foi marcado por uma tragédia em uma escola de Suzano, São Paulo, que deixou mortos e feridos. Além disso, completou um ano do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, com a prisão de dois acusados de terem cometido o crime.  Também foi em março que o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco foram presos em um desdobramento da Operação Lava Jato.

Ainda em março, o presidente Jair Bolsonaro realizou duas viagens para países que ele considera parceiros. Primeiro esteve na Casa Branca, em Washington, para o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump. Posteriormente também foi a Israel defender parcerias em segurança e defesa em encontro com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

No mesmo mês foi sancionada a lei que proíbe casamento de menores de 16 anos. E o Brasil passou a dispensar visto de entrada para os turistas que vierem do Canadá, dos Estados Unidos, do Japão e da Austrália, em uma medida unilateral, já que os brasileiros ainda necessitam do documento para entrarem nos mesmos países.

O leilão de privatização de 12 aeroportos brasileiros arrecadou R$ 2,377 bilhões. Os terminais estão localizados nas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Juntos recebem 19,6 milhões de passageiros por ano.

Relembre os fatos abaixo

Tiroteio em Suzano

Dois ex-alunos invadiram a Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), e atiraram contra alunos e funcionários durante o recreio. O tiroteio deixou dez mortos e vários feridos.

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, usaram um revólver, uma machadinha e uma besta (espécie de arco e flecha). Após o crime, os atiradores se mataram.

Caso Marielle

Marielle Franco
Agência Brasil
Assassinato de Marielle Franco completou um ano em março

Uma operação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu dois suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes em 14 de março de 2018. Ronie Lessa é policial militar reformado e Elcio Vieira de Queiroz foi expulso da Polícia Militar. Segundo o Ministério Público, os dois foram denunciados depois de análises de diversas provas. Lessa teria sido o autor dos disparos de arma de fogo e Elcio, o condutor do veículo usado na execução. De acordo com o MP, o crime foi planejado nos três meses que antecederam os assassinatos.

Prisão de Michel Temer

O ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco foram presos, em um desdobramento da Operação Lava Jato, e ficaram detidos em uma cela especial da Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói, no Rio de Janeiro. Temer permaneceu em silêncio durante interrogatório.

Quatro dias após a prisão, o desembargador federal Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), determinou a soltura de Michel Temer, Moreira Franco e de outros seis presos em operação deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF).

Sarampo

Após o crescente número de casos de sarampo, o Brasil perdeu o certificado de país livre da doença, concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) em 2016. Para recuperar o status, o país intensificou, ao longo de todo o ano, as campanhas de vacinação contra o sarampo

Ciclone na África

O ciclone Idai afetou mais de 1,7 milhão de pessoas em Moçambique, Zimbabue e Malaui. A tempestade provocou o pior desastre natural do Hemisfério Sul, disseram representantes da Organização das Nações Unidas (ONU). O Brasil enviou medicamentos e mantimentos. Além disso, militares brasileiros auxiliaram nas buscas por sobreviventes. Poucos dias depois de o Ciclone Idai passar por Moçambique, o país ficou sob alerta do cólera. Segundo as autoridades estrangeiras, houve registros de mortes em decorrência da doença nos centros de acolhimentos.

Carnaval

Em 2019, a Estação Primeira de Mangueira venceu o Carnaval do Rio de Janeiro. A escola desfilou na Sapucai com o enredo História pra Ninar Gente Grande , do carnavalesco Leandro Vieira. A Mangueira obteve a pontuação máxima em todos os quesitos.

Academia Brasileira de Letras (ABL)

Ignácio de Loyola Brandão é o novo imortal da ABL. O escritor foi eleito, por unanimidade, para ocupar a cadeira 11. Ignácio de Loyola Brandão nasceu em Araraquara (SP), em 1936, e atuou como jornalista. Trabalhou no jornal Última Hora e nas revistas Claudia , Realidade , Setenta , Planeta , Ciência e Vida . Atualmente escreve uma crônica quinzenal para o jornal O Estado de S. Paulo . Publicou mais de 42 livros entre romances e contos, crônicas, viagens, infantis e infanto juvenis e uma peça teatral.

Obituário

Morreu, aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho , lendário parceiro de Pelé no ataque do Santos Futebol Clube. Ele foi o terceiro maior artilheiro da história da equipe, com 368 gols em 457 partidas disputadas pelo clube.

Eurico Ângelo Oliveira Miranda morreu aos 74 anos, no Rio de Janeiro. Ex-presidente do Vasco da Gama e ex-deputado federal, Eurico foi vítima de um câncer no cérebro. O cartola lutava contra a doença há dez anos. Deixou esposa, quatro filho e oito netos.

O ator e diretor Domingos Oliveira morreu aos 83 anos, no Rio de Janeiro. Segundo as Organizações Globo, empresa para a qual o diretor trabalhou em diversas ocasiões, o artista morreu em casa enquanto escrevia no seu computador.

Sobrevivente da queda do avião da Chapecoense na Colômbia, em 2016, que deixou 71 mortos, o jornalista Rafael Henzel , de 45 anos, morreu de infarto em 2019. A informação foi confirmada pela Associação Chapecoense de Futebol na sua conta no Twitter. Em uma mensagem emocionante, o clube lembra com carinho o profissional que acompanhou a trajetória do time.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários