Hackers estavam presos de forma preventiva
Daniel Marenco / Agência O Globo
Hackers estavam presos de forma preventiva

As investigações em torno dos hackers que invadiram celulares de membros da Força Tarefa da Operação Lava Jato foram concluídas pela Polícia Federal, que indiciou quatro pessoas: Danilo Cristiano Marques, Gustavo Elias Santos, Thiago Eliezer Santos e Walter Delgatti Neto. As informações são da Revista Veja.

Os quatro foram indiciados pelos crimes de associação criminosa, invasão de dispositivos telemáticos e interceptações na invasão de mais de 80 celulares de autoridades brasileiras. O presidente Jair Bolsonaro e filhos foram alguns dos que tiveram aparelhos invadidos.

Leia também: “Fiz campanha para Bolsonaro e me arrependi”, diz hacker de Moro

Agora, os quatro devem ser denunciados pelo Ministério Público Federal à Justiça para que eles se tornem réus de forma penal. Como os acusados estão presos apenas de forma preventiva, é necessário que a conclusão do caso seja feita ainda nesta semana, antes que o prazo máximo da prisão se esgote.

Agora, a polícia deve apurar quem é o possível financiador das invasões nos celulares e também analisar, com base em dados coletados durante operações, possíveis golpes aplicados pelos indiciados em instituições financeiras.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários