Tamanho do texto

A fraude foi confirmada pela Light e por peritos do Instituto de Criminalística

Lagoa arrow-options
Custódio Coimbra / Agência O Globo
A cada 100 KWh distribuídos pela empresa, 18,87 KWh foram furtados

O dono de um quiosque na Lagoa , na Zona Sul do Rio, foi preso nesta quinta-feira (21) por furto de energia, popularmente conhecido como " gato de luz ". Segundo a fornecedora Light, o homem deixou de pagar cerca de R$ 70 mil em contas de luz, pois a energia consumida pelo estabelecimento não passava pelo equipamento de medição.

Leia também: Candidato se passa por militar, engana concorrente e frauda concurso do Exército

A fraude foi confirmada por técnicos da companhia e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli. O empresário, que não teve a identidade revelada, foi conduzido à 15ª (Gávea), onde assumiu o crime e recebeu voz de prisão.

Em nota, a Light informou que o volume de energia furtado em 31 municípios do Rio de Janeiro atingiu a marca de 18,87% da energia distribuída no período de 12 meses entre julho de 2018 e junho de 2019. A cada 100 KWh distribuídos pela empresa, 18,87 KWh foram furtados.

"O volume de energia furtado na área de concessão da Light seria mais que o suficiente para atender ao mercado de baixa tensão do estado do Espírito Santo. São mais de 7,1 mil Gigawatts-hora de energia fornecida que não é faturada, ou seja, cujo consumo não é pago à distribuidora", diz o comunicado.

Leia também: Maior energia já vista! Hubble examina mistérios de uma explosão de raios gama