Tamanho do texto

Pesquisa avaliou peixes e lagostas, mas não trouxe informações sobre demais frutos do mar. Governo garante que não há contaminação por conta do óleo

Nordeste arrow-options
Agência Pública
Depois do incidente, a pescadora Marinalva, de Pernambuco, percebeu que os camarões do mangue ficaram escuros

Um estudo encomendado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento afirma que os pescados do litoral nordestino afetado pelo derramamento de óleo está apto para o consumo humano. O estudo avaliou peixes e lagostas, mas não trouxe mais informações sobre demais frutos do mar.

O laudo da pesquisa aponta que amostras de Pernambuco, Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte não contém níveis de contaminação por petróleo que sejam prejudiciais ao consumidor. 

Leia mais: Óleo chega a primeira praia na região Sudeste, diz Marinha

A nota divulgada pelo ministério aponta que a reavaliação dos pescados segue ativa e que resultados atualizados estarão à disposição da população. 

As coletas presentes no estudo foram realizadas nos dias 29 e 30 de outubro em estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Federal (SIF). O teste buscou 37 diferentes compostos de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA), referentes à contaminação por derivados de petróleo