Tamanho do texto

Cerca de 600 pessoas participaram da limpeza durante três dias consecutivos. Governo estadual disse que não recebeu orientações federais.

óleo na praia arrow-options
Foto: Felipe Brasil/Instituto do Meio Ambiente de Alagoas
Vazamentos atingiram praias de outras localidades do nordeste, como a de Alagoas.

Em Pernambuco , cerca de 600 pessoas, incluindo voluntários e funcionários do estado, participaram de um mutirão para recolher o óleo que atingiu o litoral. Ao todo, trinta toneladas foram retiradas por três dias consecutivos, da quinta-feira até este sábado (19). Na manhã deste domingo um sobrevoo está programado para monitorar possíveis aparecimentos de novas manchas. 

Leia mais: Manchas de óleo atingem praias em Ilhéus e Itacaré, litoral sul da Bahia

Uma mancha localizada em alto-mar foi localizada a partir de um sobrevoo feito pelo litoral pernambucano durante a tarde do sábado (19). Ao G1, o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, major Olivaldi Azevedo, disse que a mancha foi localizada próximo à praia de Muro Alto. 

Barreiras de contenção também foram utilizadas para impedir que óleos alcancem a foz dos rios Maracaípe, Mamucabas, Una e Persinunga. Fragmentos do petróleo também foram encontrados nas praias de Reduto, em Rio Formoso; Boca da Barra, em Tamandaré; Barra de Sirinhaém, em Sirinhaém; Mamucabinhas, em Barreiros; Pontal de Maracaípe, em Ipojuca; Cupe, em Ipojuca; Muro Alto, em Ipojuca. As manchas de óleo também foram encontradas em estuários de rios em localizados em Tamandaré, Barreiros e Ipojuca. 

Leia também: Governo Bolsonaro extinguiu comitês do plano de ação de incidentes com óleo

Apesar do empenho para retirar os resíduos das praias, é necessário uma análise química da água e da areia para que as autoridades tenham certeza de que as áreas atingidas estão próprias para banhistas.

O governo estadual de Pernambuco informou ao G1 que um dos problemas para enfrentar a situação é a falta de orientações do governo federal.