Tamanho do texto

Roubo desta quinta (17) foi o segundo em pouco mais de um ano e meio. Aeroporto diz que cumpriu procedimentos de segurança da Anac na situação

viracopos arrow-options
Redes sociais / Reprodução
Caminhões queimados por quadrilha durante assalto ao Aeroporto de Viracopos.

A Agência Nacional de Aviação Civil ( Anac ) pediu à Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos - administradora do terminal em Campinas, no interior de São Paulo - que forneça um relatório de segurança após um assalto que terminou com três ladrões mortos e ao menos quatro feridos na manhã desta quinta-feira (17). Entre os feridos, há três agentes de segurança baleados e uma mulher, atingida por estilhaços de bala.

De acordo com a Anac, o procedimento deve verificar "eventuais medidas que não estejam de acordo com as normas de Segurança da Aviação Civil Contra Atos de Interferência Ilícita (AVSEC)." Em pouco mais de um ano e meio, essa é a segunda vez que o Aeroporto de Viracopos é alvo de bandidos em busca de cargas de alto valor. Em março de 2018, 5 milhões de dólares foram levados por homens armados com fuzis em apenas seis minutos.

Leia mais: Funcionários quebraram pilastras de prédio antes de desabamento, veja vídeo

Em nota, a concessionária que administra o aeroporto de Viracopos disse que ainda não foi notificada pela Anac, mas informou que os relatórios de segurança são padrão em caso de "qualquer ato de interferência ilícita". Além disso, informou que todos os procedimentos de segurança, previamente aprovados pela Anac, foram cumpridos no momento do assalto, e que realiza simulações anuais em parceria com a polícia conforme diretrizes da Segurança da Aviação Civil contra Atos de Interferência Ilítica.

"Preocupa o posicionamento de alguns setores que, em vez de abordar a grave questão da segurança pública e do combate ao crime organizado, fez parecer que as empresas que sofreram a ação criminosa são responsáveis por supostas falhas de segurança. Qual empresa consegue enfrentar quadrilhas de posse de armamentos de guerra?", completou a concessionária.

O assalto

Ao menos seis bandidos fortemente armados invadiram o portão E24 do terminal de cargas na manhã de quinta-feira em duas caminhonetes semelhantes às da Aeronáutica. Apesar de os pneus dos veículos terem sido destruídos por ganchos de segurança, ladrões conseguiram entrar e fugiram com dois malotes de dinheiro. Outros membros da quadrilha esperavam do lado de fora.

Mais de 20 malotes com valores em espécie, avaliados em R$ 13 milhões, estavam na mira do bando. A carga, escoltada pela transportadora de valores Brink's, seria enviada para a Inglaterra. Houve intensa troca de tiros com policiais do aeroporto, o que assustou passageiros que estavam em outros terminais. Dois agentes de segurança foram baleados, um na perna e outro na orelha.

Leia também: Roger Abdelmassih volta à penitenciária após ter prisão domiciliar revogada

Após o tiroteio, os bandidos conseguiram fugir usando um caminhão de lixo como apoio, cuja caçamba tinha armamento pesado e os malotes roubados. Na sequência, fizeram uma barricada com caminhões incendiados e bloquearam totalmente a rodovia Santos Dumont (SP-075), que dá acesso ao aeroporto. Logo depois, em um matagal, houve um novo confronto com policiais, e dois bandidos foram mortos. Um policial também ficou ferido na segunda troca de tiros. Os malotes roubados foram recuperados no local.

Bebê de 10 meses vira refém

Em seguida, parte dos criminosos seguiu para o Bairro Campina Verde, onde fizeram moradores reféns. Em uma das casas, estava uma menina de dez meses e sua mãe. Durante pouco mais de uma hora, a polícia tentou negociar a rendição com o criminoso, mas, em determinado momento, um sniper acertou um tiro no rosto do assaltante e ele acabou morrendo. As reféns foram libertadas. A mãe levou um tiro na nádega, e a criança passa bem.

Apesar de o dinheiro ter sido recuperado após o assalto, alguns ladrões seguem foragidos. Não há informações sobre o número exato de bandidos envolvidos no assalto, nem de quantos ainda estão foragidos. Ao menos seis entraram no aeroporto, e outros aguardavam do lado de fora para ajudar na fuga.