Tamanho do texto

Caixas sólidas pertenciam a um navio alemão naufragado na 2ª Guerra Mundial, encontrado “acidentalmente” durante as busca pela origem do óleo no Nordeste

Hardcore

caixas sólidas encontras nas praias do Nordeste arrow-options
Hardcore
Caixas sólidas pertenciam a um navio alemão naufragado na 2ª Guerra Mundial, encontrado “acidentalmente” durante as busca pela origem do óleo no Nordeste


O intuito era descobrir a origem das manchas de óleo que assolam toda a região Nordeste do território brasileiro e se expandem para o Sul, porém, pesquisadores do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), da Universidade Federal do Ceará (UFC), acabaram por identificar de onde surgiram as misteriosas caixas que apareceram em praias do Nordeste em outubro do ano passado.

Leia também: Venezuela afirma não ser culpada pelo óleo nas praias brasileiras

As caixas são grandes estruturas de borracha derivadas de petróleo e sua utilidade não foi descoberta. Em junho deste ano, um dos objetos voltou a aparecer em uma praia no Rio Grande do Norte. Na ocasião, um veículo colidiu com a caixa, causando um acidente fatal. 

Carlos Teixeira, oceanógrafo a frente das pesquisas, afirma que o navio alemão que transportava as caixas usava o nome  “SS Rio Grande” como disfarce contra seus inimigos e que a embarcação foi afundada em 1944 pela força aérea dos Estados Unidos.

“A gente sabia das caixas , mas nunca tínhamos conseguido desvendar de onde elas vinham. Aí veio a problemática do óleo. Por coincidência, ou não, a ocorrência desse óleo está acontecendo na mesma época do ano em que as caixas começaram a aparecer no ano passado”, ressaltou Teixeira em entrevista.

Leia também: Salles diz que óleo no Nordeste vem "muito provavelmente" da Venezuela

Sobre o óleo que se espalha no Nordeste , ainda não há explicações sobre a origem do material. Nesta quinta-feira(10), foi cogitada por especialistas da UFC (Universidade Federal do Ceará) a hipótese de que os resíduos estivessem vazando de uma embarcação alemã naufragada anos atrás na região. Entretanto, após análises de datação do óleo cru, foi constatado que o material encontrado nas praias é de origem mais recente.