Em entrevista, mulher do prefeito de Manaus disse que filho é usuário de drogas
Reprodução/TV Globo
Em entrevista, mulher do prefeito de Manaus disse que filho é usuário de drogas

A Justiça do Amazonas decretou, na noite da última quinta-feira (3), a prisão temporária de Alejandro Molina Valeiko, enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB). Valeiko é suspeito de envolvimento na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, encontrado morto na tarde de segunda-feira (30).

Leia também: Tem uma cobra no meu fogão! Mulher se assusta com 'visitante' na cozinha de casa

De acordo com as investigações, Santos foi sequestrado na madrugada de segunda-feira durante uma festa no condomínio de Luxo em que mora Valeiko, em  Manaus . O corpo do engenheiro foi encontrado mais tarde, no bairro Tarumã, Zona Oeste da capital do Amazonas.

O prefeito se manifestou sobre o caso pelas redes sociais, no início da semana. Vírgilio Neto confirmou que o filho de sua mulher, Elisabeth Valeiko , é usuário de drogas e disse ainda que dois homens encapuzados o imóvel do enteado para cobrar "dinheiro a um dos presentes". De acordo com a mãe de Valeiko, o filho está internado em uma clínica de reabilitação desde que prestou depoimento à polícia.

"Meu enteado Alejandro , filho de minha esposa Elisabeth, é mais um dos milhões de usuários de drogas que as facções criminosas arrebanham em nossa cidade e em nosso país. Sofrido, luta contra o vício há mais de 10 anos", afirmou. "Um dos meninos se trancou no banheiro e Alejandro recebeu golpe de coronha que lhe abriu a cabeça. Levaram o que queriam: o rapaz Flavio, a quem 'cobravam' pagamento pelo trabalho maldito que leva pessoas à perdição. Principalmente os jovens, muitos deles viciados desde 10 ou 12 anos de idade", acrescentou.

Polícia Civil , no entanto, rebateu a versão da invasão, dita pelo prefeito. Segundo a investigação, os dois homens foram convidados a entrar no apartamento de Valeiko.

Você viu?

Na quarta-feira, a mãe de Valeiko, Elisabeth, disse que o filho não tem participação no crime e defendeu sua inocência.

"Meu filho não matou ninguém. Eu, como vocês, também estou aguardando, porque eu preciso entender o que aconteceu naquela noite. Naquele momento, meu filho estava sangrando com uma coronhada. Ele levou uma coronhada na cabeça. Todos estavam em uma rave, usaram droga", disse Elisabeth. "Se foram para casa do meu filho, eles são amigos. Continuaram a usar droga e, dali, nem eu sei o que aconteceu".

Prefeito de Manaus pede Justiça

De acordo com o delegado Aldeney Goes, titular do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), um homem não identificado agrediu duas pessoas, uma delas ferida com arma branca. O delegado disse, porém, que outras informações não podem ser divulgadas para não atrapalhar o andamento dos trabalhos.

Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros ( DEHS ), e peritos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal ( IML ) foram acionados para realizarem perícia. Goes explicou que as periciais técnicas foram requisitadas no local onde o corpo foi encontrado, no bairro Tarumã, e na casa onde ocorreu a festa, no bairro Ponta Negra, ambos na Zona Oeste de Manaus. A necrópsia atestará a causa da morte.

Leia também: Menino que matou garota com autismo foi frio e falou que não conhecia vítima

Na rede social, o prefeito defendeu seu enteado das críticas e cobrou Justiça.

"Botemos um ponto final: Alejandro estava recebendo amigos. Teria cabimento que sumisse por segundos e voltasse de capuz, armado (ele nunca usou nem canivete) e sequestrasse Flavio? Sim, porque o assassino desse pobre rapaz o sequestrou e, para fazer isso, teve de abrir a cabeça de Alejandro com uma coronhada", ressaltou. "Que os assassinos de Flavio sejam logo presos e levados a julgamento".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários