Prefeitura de Belo Horizonte
Stênio Lima/Prefeitura de Belo Horizonte
Servidora de Belo Horizonte que denunciou caso de racismo foi exonerada


A servidora da prefeitura de Belo Horizonte, Etiene Martins, foi exonerada do cargo na última quarta-feira (18), conforme mostra o Diário Oficial do Município. A ex-funcionária da Secretaria de Segurança e Prevenção fez uma denúncia de racismo contra um guarda municipal em novembro do ano passado. A Secretaria, porém, afirma que o pedido da exoneração partiu da própria funcionária.

Leia também: Padre se recusa a contratar faxineira negra e alega que cachorro é racista

Em contato com a reportagem, Etiene Martins conta que o pedido de sua exoneração partiu do secretário Genilson Zeferino ao prefeito Alexandre Kalil (PSD) que acatou seu pedido. Segundo ela, no dia 28 de junho, em razão dos ataques de racismo que sofreu por email de sua da chefe imediata imediata,  a diretora de Prevenção Social Márcia Cristina Alves, comunicou o ocorrido ao secretário Genilson Zeferino e falou que estava insustentável a situação. Após reunião, o secretário teria dito que averiguaria o caso e que não era necessária a exoneração.

"Após ter assumido esse compromisso comigo, ele me alocou em uma sala isolada do restante da equipe, sem janelas, sem ar condicionado, sem banheiro, diferente de todos os outros gestores da Secretaria de Segurança e Prevenção. Além do isolamento fui privada de exercer as atribuições inerente ao cargo que eu ocupava e mesmo indo trabalhar todos os dias ficava ociosas pois não me repassavam as demandas e não me deixava dar continuidade com as anteriores", contou Etiene.

Leia também: Professor capixaba se fantasia de "Nega maluca" e é acusado de racismo

Além do email recebido via sua chefe, a servidora já havia registrado denuncia em novembro do ano passado de um outro caso de racismo. Segundo ela, o guarda municipal Luzardo Damasceno teria dito que "preto bom, é preto morto" no momento em que Etiene, que é negra, passava.

Em nota, a Secretaria de Segurança e Prevenção afirma que  Etiene era servidora comissionada, em cargo de recrutamento amplo nomeada pelo prefeito em 15/09/2017 e pediu, por iniciativa própria, exoneração do cargo no dia 03/07/2019.

O email do dia 3 de julho é referente a um pedido de Etiene Martins ao secretário Genilson Ribeiro pedindo a exoneração. A servidora, porém, enviou novas mensagens no dia seguinte, afirmando que após reunião, tornava sem efeito o pedido de exoneração. (conforme imagem abaixo).

email Etiene
Reprodução
No dia 4 de julho, Etiene Martins enviou um email pedindo o cancelamento da exoneração


A respeito das denúncias, a secretaria afirma que a apuração resultou na absolvição do guarda municipal imposta pela corregedoria. Sobre o email de Márcia Cristina Alves, "está sendo apurada pela delegacia de crimes cibernéticos da Polícia Civil".

Durante sua atuação na Secretaria de Segurança e Prevenção, Etiene Martins atuou na chefia da gerência de prevenção a à violência e criminalidade juvenil, com ações, inclusive de combate ao racismo .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários