Tamanho do texto

Mulher acusa ex, que causou acidente, de tê-la ameaçado; ela tinha medida protetiva contra ele

Érica Kuasne e Matheus Gabriel arrow-options
Reprodução
Érica Kuasne e Matheus Gabriel

Um dia após sepultar o corpo do filho, Matheus Gabriel , de 9 anos, Érika Kuasne  escreveu: "Hoje acordei com saudade de você. Bom dia, meu bebê. Te amo meu bebê. Amor eterno."

Antes, Érika  agradeceu o apoio que vem recebendo. "Venho agradecer a todos que no momento mais difícil estiveram do lado da minha família. Obrigado ao mundo pelas mensagens, pois recebi muita força de pessoas que nem sequer me conhecem. Eu louvo a Deus por isso, pois eu sei que daqui pra frente tudo se fará novo. Recebam todos minha eterna gratidão."

Leia também: "Adeus, mãe": antes de bater carro em caminhão, ex manda filho gravar despedida

O menino morreu em uma  grave batida  provocada pelo pai, inconformado com o fim do casamento há cerca de 3 anos. Antes de bater de frente em uma carreta, Marco Antônio Alves, de 45 anos, enviou áudios e mensagens para Érika ameaçando matar Matheus. Logo depois de mandar o menino gravar um vídeo de despedida à mãe, Érika soube do acidente. 


Em entrevista à Folha de Londrina, Érika contou que se separou de Marco por causa da violência que sofria durante 9 anos. Segundo ela, várias denúncias foram feitas contra o ex-companheiro, que chegou a ser preso sob a Lei Maria da Penha, com a qual conseguiu uma medida protetiva. 

Leia também: Menino que gravou adeus para mãe antes de morrer já tinha sido vítima do pai 

Ela disse que na quarta-feira, um dia antes de provocar o acidente, Marco a obrigou a entrar no carro dele sob ameaça. Ele pedia para ela voltar, caso contrário, jogaria o carro na frente de uma carreta. Quando conseguiu convencê-lo a descer do carro, foi para outro município, para casa de familiares.

Matheus Gabriel, de 9 anos arrow-options
Reprodução/ Facebook
Matheus Gabriel, de 9 anos


Érika e o filho Matheus Gabriel arrow-options
Reprodução/ Facebook
Érika e o filho Matheus Gabriel