Tamanho do texto

Protesto bloqueia vias e terminais de ônibus na região central da cidade; manifestantes são contrários a cortes de linhas e de frotas de ônibus

ônibus em São Paulo arrow-options
Roberto Casimiro/Fotoarena/Agência O Globo
Motoristas paralisam terminal de ônibus Santana na zona norte de São Paulo

Motoristas e cobradores de ônibus realizam, nesta quinta-feira (5), um protesto contra os cortes de linhas e de frotas na capital, anunciados pela gestão Bruno Covas. Eles também reivindicam o pagamento de Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Os manifestantes já bloquearam 19 terminais de ônibus.

Leia também: Paulistanos poderão comprar bilhetes de metrô por QR code a partir desta quarta

De acordo com a SPTrans, estão fechados os terminais A. E. Carvalho, Água Espraiada, Bandeira, Campo Limpo, Capelinha, Jardim Ângela, Lapa, Mercado, Parque Dom Pedro II, Pinheiros, Princesa Isabel, Sacomã, Santo Amaro, São Miguel, Sapopemba, Guarapiranga, Amaral Gurgel, Grajaú, Pirituba, Varginha e Vila Carrão. Também sofrem interferência os terminais das estações de metrô Barra Funda e Santana.

Ônibus estacionados em fila em faixa exclusiva arrow-options
Eduardo Carmim/Photo Premium/Agencia O Globo
Motoristas estacionaram os ônibus em faixa exclusiva

O trânsito de ônibus também foi interrompido total ou parcialmente em algumas avenidas importantes da cidade de São Paulo.  Segundo a Polícia Militar, motoristas estacionaram veículos na Avenida 23 de Maio, na Avenida Brigadeiro Luis Antonio, no Viaduto Dona Paulista, na Rua Barão de Paranapiacaba e na Praça do Correio. O rodízio foi suspenso.

Por volta de meio dia os motoristas e cobradores ocuparam o Viaduto do Chá, no centro da cidade. O protesto acontecia de maneira pacífica. Os profissionais levavam faixas e cartazes e tinham o apoio de um carro de som. De acordo com a Rádio Trânsito , o grupo solicitava uma reunião com o prefeito Bruno Covas.

Leia também: Gestantes presas não conseguem prisão domiciliar, aponta pesquisa

No Twitter, moradores da cidade comentaram as paralisações: