Bolsonaro falando
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro discursando

O presidente Jair Bolsonaro confidenciou a amigos, entre eles um governador, que adiará, por tempo indeterminado, a escolha do futuro chefe da Procuradoria-Geral da República (PGR) segundo disse ao GLOBO duas fontes que acompanham o caso de perto. 

Neste momento, Bolsonaro tende a deixar que o subprocurador-geral Alcides Martins assuma a vaga ser aberta na PGR com a saída da titular, Raquel Dodge , em 17 de setembro. 

Leia também: Dodge vê indícios de "ação orquestrada" em incêndios na Amazônia 

Se atuação de Martins agradar ao governo, ele deve permanecer no cargo. Se não inspirar confiança, Bolsonaro deverá buscar outro nome. Martins tem 70 anos de idade e, como vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público, assume automaticamente a chefia do Ministério Público Federal em caso de vacância do cargo.

Sem indicação formal e, claro, sem sabatina no Senado, Dodge terá que deixar o cargo e voltar a atuar como subprocuradora-geral a partir do próximo dia 18. Bolsonaro desistiu de indicar imediatamente um substituto para Dodge depois que os quatro "favoritos" ao cargo foram chamuscados por ataques de adversários antes mesmo de receberem um aceno público do presidente.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários