Tamanho do texto

Ação da PF é realizada em São Paulo e no Rio de janeiro e tem buscas na casa do banqueiro André Esteves e da ex-presidente da Petrobras Graça Foster

BTGGraça Foster e André Esteves arrow-options
Fotos Públicas e BTG Pactual
Foster e Esteves são investigados pela venda de ativos da Petrobras ao banco

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (23) a 64ª fase da Operação Lava Jato. Os principais alvos da operação são o banco BTG Pactual, o banqueiro André Esteves e a ex-presidente da Petrobras Graça Foster.

Leia também: Neto de Flordelis se negou a prestar primeiros socorros a pastor, revela médico

Agentes da PF cumprem mandados de busca e apreensão tanto no banco quanto nas casas de Esteves e de Foster. Batizada de Pentiti, essa é a primeira operação da Lava Jato baseada na delação firmada entre o ex-ministro Antonio Palocci e a Polícia Federal.

Segundo a PF, a operação tem o objetivo de investigar os crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de capitais ligados a recursos registrados em uma planilha chamada "Programa Especial Italiano" — contabilidade gerida pela empreiteira Odebrecht . Graça Foster e André Esteves são investigados pela venda de ativos da estatal brasileira para o banco em 2013. A suspeita é que estes ativos tenham sido vendidos por menos do que valiam.

Ao todo, 80 policiais federais cumprem 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A investigação apura um negócio que causou prejuízo de US$ 1,5 bilhão firmado entre a Petrobras e o banco BTG Pactual .

Leia também: Coordenador de clínica de reabilitação é preso por tráfico de drogas

"Além da identificação de beneficiários da planilha “Programa Especial Italiano” e do modus operandi de entregas de valores ilícitos a autoridades, também é objeto desta fase esclarecer a existência de corrupção envolvendo instituição financeira nacional e estatal petrolífera na exploração do pré-sal e em projeto de desinvestimento de ativos no continente africano", afirma a PF.

Alvo da Lava Jato , o Banco BTG Pactual foi procurado mas ainda não se pronunciou sobre a operação.