Marina Silva e Ricardo Salles
Agência Brasil
Marina Silva e Ricardo Salles


Em entrevista à CBN na tarde desta quinta-feira (22), a ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede) criticou o ministro Ricardo Salles do Governo Bolsonaro após repercussão da queimada na Amazônia pelo mundo. 

Segundo Marina Silva, conhecida pela defesa do Meio Ambiente, Salles "não tem credibilidade para reverter esse problema [das queimadas]." 

Leia também: Fumaça de queimadas na Amazônia que atingiu SP pode ser vista do espaço

Para ela, nos últimos anos o Brasil vivia o crescimento da economia e a diminuição do desmatamento. "Agora, voltamos como vilões enquanto precisaríamos proteger os interesses diplomáticos e comerciais", disse ela, que está em viagem na Colômbia.

Leia também: Salles culpa população da região Norte por queimadas: "Hábito de por fogo"

Procupada, Marina alerta que as consequências das queimadas e desmatamento são irreversíveis. "É a primeira vez que um ministro do Meio Ambiente é anti-ambientalista", disse Silva. 

A ex-senadora ainda disse que deve procurar o Congresso Nacional  para, junto com ex-ministros do Meio Ambiente, Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), criarem uma comissão especial. "Tem que ter participação de ambientalistas, gestores, comunidade local e especialistas e não apenas parlamentares", sugere Marina. 

Leia também: Ex-diretor do Inpe diz que não conseguia alertar Ibama sobre desmatamento



    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários