Camiseta vendida em loja mostra imagem do atirador de elite que acertou sequestrador do ônibus
Divulgação
Camiseta vendida em loja mostra imagem do atirador de elite que acertou sequestrador do ônibus

Uma loja de São Paulo está vendendo uma camisa com a foto de um dos atiradores que atuou no sequestro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói. A roupa foi divulgada em menos de 24h do acontecimento, que resultou na morte do sequestrador, William Augusto da Silva, atingido por disparos feitos por "snipers".

Leia também: "Apaga tudo", disse Flordelis a filho antes de jogar celular do pastor no mar

A foto na camiseta é do atirador que estava em cima do caminhão dos bombeiros e que, logo após os tiros, comemora que o sequestrador foi atingido. A imagem vem junto com a legenda " Grande dia ", uma referência a um tuíte feito pelo  presidente Jair Bolsonaro no início do ano.

O comerciante Lucas Nunes, dono da marca, disse que pegou a imagem que foi compartilhada por Bolsonaro em seu Twitter — o presidente retuitou a foto publicada por Arthur Weintraub, assessor da Presidência da República e irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub. A imagem em questão é uma fotografia tirada pelo fotógrafo Fabiano Rocha, do Extra e "O Globo".

Você viu?

A camisa é uma homenagem à ação da Polícia Militar no desfecho do sequestro . Nunes disse que não esperava a repercussão que a camisa teve. Segundo ele, em três horas, a marca vendeu cerca de 500 exemplares.

A loja online existe há 14 anos e tem a sede em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Apesar da marca ter feito campanha no ano passado para Bolsonaro, Nunes explica que a marca não tem cunho político.

Leia também: Alcolumbre lidera frente contra resistência a Eduardo Bolsonaro em embaixada

"A gente é uma empresa capitalista focada no resultado. A gente fez a estampa , assim como as camisas usadas na eleição, para capitalizar em cima dela. Somos uma marca liberal, sem cunho político", contou o comerciante. "O nosso público é mais voltado para o capitalismo, de vertente da direita e do liberalismo. Nós somos liberais na economia, mas conservador nos costumes".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários