Projeto de iniciativa de Tribunal carioca quer transformar a visão de magistrados
Reprodução/ TJRJ
Projeto de iniciativa de Tribunal carioca quer transformar a visão de magistrados


Juízes e desembargadores que julgam processos trabalhistas foram convidados a viverem um dia na pele de faxineiros, garis, atendentes e cobradores. Antes da rotina nas ruas, banheiros, escritórios barulhentos, os juízes participaram de aulas teóricas. 

A iniciativa é do Tribunal Regional do Trabalho  do Rio de Janeiro (TRT-RJ). Os magistrados passam pelos treinamentos para entenderem a rotina de funções. 

Leia também: Fim da Justiça do Trabalho é bom ou ruim? Proposta de Bolsonaro divide opiniões

Para a BBC Brasil, juiz Thiago Mafra da Silva contou as dificuldades da rotina de gari. “Foi bem pesado, cheguei a vomitar por causa da insolação", disse. “O juiz que perdeu a capacidade de olhar com empatia para o outro, perdeu a capacidade de ser juiz", completou o magistrado. 

Juízes experimentam rotina.
BBC Brasil
Juízes experimentam rotina.


Você viu?

Leia também: Juiz cita preço de arma para justificar absolvição de PMs, no Rio; relembre caso

Já o juiz do Tribunal Regional do Trabalho, Thiago Mafra da Silva, considera "a empatia é essencial para todos, mas para nós especialmente. Diariamente, a gente tem que se colocar no lugar do outro, se colocar na pele tanto do trabalhador, quando do empregador, para entender as dificuldades que eles enfrentam."

Varrendo rua.
BBC Brasil
Varrendo rua.


O magistrado passou um dia varrendo as rua do Rio como gari para a Comlurb, a empresa de limpeza da cidade.

“O juiz que perdeu a capacidade de olhar com empatia para o outro, perdeu a capacidade de ser juiz”, diz Marcelo Augusto Souto de Oliveira, diretor da Escola Judicial e um dos idealizadores do projeto. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários