Tamanho do texto

Quadrilha trazia migrantes africanos para São Paulo, providenciando passaportes ou vistos do Brasil para que eles seguissem viagem

Documentos apreendidos pela PF arrow-options
Polícia Federal
Polícia Federal apreendeu documentos falsificados

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (20) uma operação contra uma organização criminosa suspeita de levar imigrantes ilegalmente para os Estados Unidos . Dois desses imigrantes, provenientes da Somália, são suspeitos de terrorismo e estão presos nos EUA.

De acordo com a PF, um dos membros do grupo divulgava símbolos e personagens nazistas em suas redes sociais. Os agentes cumprem três mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo, no Brasil , onde a quadrilha atuava.

Leia também: EUA: Filhos de imigrantes detidos dormem sozinhos em abrigo improvisado 

Os migrantes partiam de países da África, onde eram providenciados passaportes ou vistos brasileiros. De lá, vinham a São Paulo, onde permaneciam hospedados em um hotel do centro da cidade.

Posteriormente, iam para Rio Branco, no Acre, atravessavam a fronteira com o Peru e prosseguiam por ônibus, barco, carro e a pé até a fronteira do México com os EUA.

Leia também: Mais de 100 migrantes desaparecem após naufrágio na Líbia

"Os indícios apontam que os contrabandistas localizados em São Paulo centralizavam e detinham pleno domínio de toda a rota, por meio de contato com outros integrantes em todos os países e continentes envolvidos", afirma a PF .

Segundo a Polícia Federal, os investigados responderão pelos crimes de contrabando de migrantes (qualificado pela submissão a condições desumanas e degradantes), organização criminosa, falsificação de documento público e divulgação do nazismo, com penas de 3 a 8 anos de prisão.