Tamanho do texto

Homem foi atingido na perna ao descer do ônibus durante as negociações; levado para hospital, suspeito acabou não resistindo aos ferimentos

Ônibus arrow-options
Fabiano Rocha / Agência O Globo
Trânsito na Ponte Rio-Niterói foi completamente paralisado no sentido Rio

Após quase 4h, chegou ao fim o sequestro do ônibus da Viação Galo Branco na Ponte Rio-Niterói, no Rio de Janeiro. Policiais que estavam no local conseguiram atingir o suspeito armado que fazia diversos reféns. Levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

De acordo com o O Globo, uma ambulância chegou ao Hospital Souza Aguiar trazendo uma pessoa ferida no episódio da Ponte e protegida por uma manta térmica. Por meio de nota, a informação da morte do sequestrador foi confirmada pela secretaria municipal de Saúde: "paciente chegou em parada cardiorrespiratória e foi constatado o óbito pela equipe médica do hospital".

Tudo começou por volta das 6h da manhã desta terça-feira (20, quando agentes da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar cercaram o ônibus na Ponte Rio-Niterói. O suspeito armado estava dentro do veículo com reféns. 

Leia também: Bolsonaro assina medida provisória para transferir Coaf para Banco Central

O suspeito teria mandado o motorista encostar e parar na ponte para quem segue em direção ao Rio e deu ordem para que o ônibus fosse atravessado na subida do vão central. Além da arma, ele estaria portando um taser, que é uma arma de choque, e uma faca.

De acordo com o Centro de Operação da Prefeitura do Rio , o tráfego foi totalmente fechado nos dois sentidos, o que gerou um grande congestionamento no local. Segundo informações da GloboNews, um telefone celular foi passado de dentro do veículo para os agentes que estão no local, para facilitar as negociações com o assaltante.

Bope arrow-options
Agência O Globo
Integrantes do Bope também estão no local para auxiliar nas negociações

Ao longo das negociações, seis dos passageiros que eram mantidos como reféns, quatro mulheres e dois homens, foram liberados e deixaram o veículo. Os homens, inclusive, foram revistados pelos agentes, que confirmaram que eles não estavam armados.

Uma das reféns libertadas, uma senhora de idade ainda não confirmada, precisou ser amparada após deixar o veículo e desmaiar. Ela foi colocada em uma ambulância que estava estacionada ao lado do ônibus, exatamente para recebê-la.

Veja os nomes dos reféns libertados

  • Rita de Cassia Costa de Almeida Domingues
  • Raiane das Graças Mendonça Leal
  • Fábio Nascimento da Silva
  • Robson de Oliveira
  • Tamires Chaves Cordeiro

Leia também: Ernesto Araújo diz que Fernández é 'boneca russa' com Lula e Chávez dentro

Ainda de acordo com a publicação, uma porta-voz da PRF revelou que o homem, que se identificou como policial militar, estava ameaçando jogar gasolina no ônibus: "Estamos em negociação com ele para liberar mais reféns, mas ainda não sabemo qual é o propósito dele".

"Foi algo premeditado. Ou seja, ele tinha instrumentos para fazer coquetel molotov, pra mobilizar as vítimas", o porta-voz da PM, o coronel Mauro Fliess informou, em entrevista à TV Globo.

Por volta de 9h (horário de Brasília), foram ouvidos ao menos seis disparos, seguidos de aplausos. Um atirador de elite comemorou sobre um carro dos bombeiros, mas a polícia não informou se alguém foi atingido. Ambulâncias se aproximaram do ônibus sequestrado.

De acordo com a GloboNews, as informações preliminares davam conta de que o sequestrador havia sido baleado por volta de 9h02 quando desceu do ônibus, ponto que foi confirmado minutos depois, quando a polícia informou a morte do sequestrador.

Movimento na Ponte

Como a pista sentido Rio da Ponte está fechada por causa do sequestro, diversos passageiros de outros ônibus que estão parados desceram dos veículos. Eles andam a pé em direção a Niterói para tentarem outro trajeto para chegar ao Rio. Um veículo da viação 1001 retornou totalmente vazio depois que os passageiros saíram dele.

Já nos acessos da Ponte, diversos carros e vans estão impossibilitados de passar. Segundo O Dia, há uma van da Prefeitura de Arraial do Cabo presa no local, com pacientes que seriam atendidos em hospitais do Rio nesta terça-feira.

Governador se pronunciou

Por volta das 8h40, o governador Wilson Witzel (PSC) se manifestou em seu perfil no Twitter sobre o sequestro: "Estou acompanhando desde cedo, com atenção, o sequestro do ônibus na ponte Rio Niterói. Estou em contato direto com o comando da Polícia Militar, que trabalha para encerrar o caso da melhor maneira possível. A prioridade absoluta é a proteção dos reféns".