Tamanho do texto

Viaduto caiu na zona norte do Rio de Janeiro, na noite dessa quinta e deixou duas vítimas fatais; corpos foram retirados 12 horas após o acontecido

Agência Brasil

acidente arrow-options
Reprodução/TV Globo
Cabine de caminhão ficou completamente destruída

Quase 12 horas após a queda de parte da estrutura de um viaduto sobre um caminhão, no bairro de Coelho Neto, na zona norte do Rio de Janeiro, os corpos das duas vítimas foram retirados das ferragens pelos bombeiros, pouco depois das 6h30 de hoje (9). Os mortos foram identificados como Adeir dos Anjos Peixoto, de 62 anos, que dirigia o veículo, e Deivid Sangi da Costa, de 29 anos, auxiliar do motorista.

Leia também: Anúncio com casal gay em ponto de ônibus é vandalizado com símbolo nazista no RJ

O acidente ocorreu por volta das 19h de ontem (8). De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação, o caminhão trafegava pela rua Rua Cajurana e transportava um contêiner. Ao passar por baixo do viaduto da Avenida Brasil, que está em obras para alargamento, o compartimento de carga bateu em uma viga de 55 toneladas, que caiu sobre a cabine do veículo, deixando-a totalmente esmagada.

A secretaria informou ainda que o caminhão que carregava contêineres tinha altura acima da permitida e que a via estava sinalizada. Populares dizem que as placas alertavam apenas sobra a realização de obras e não especificavam a limitação de altura no trecho.

O resgate dos corpos foi demorado devido à complexidade do trabalho. Primeiro, operários tiveram que cortar as estruturas de concreto e ferro para separar as partes da viga que caiu. Essa etapa durou quase até o início da manhã. Em seguida, os bombeiros iniciaram o resgaste dos corpos, que estavam presos nas ferragens.

Leia também: Munição de canhão é encontrada em ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro

Paralelamente, dois guindastes de grande porte içaram os pedaços da viga do viaduto , que foram removidos por carretas. Durante toda a operação, o trecho da pista sentido centro da Avenida Brasil, entre Guadalupe e Coelho Neto, ficou interditado e só foi liberado após o fim dos trabalhos, por volta das 9h30 de hoje .