Tamanho do texto

Investigadas pelo assalto de carga de ouro avaliada em mais de R$ 110 milhões, três pessoas ficarão presas por pelo menos mais cinco dias

roubo de ouro em Guarulhos arrow-options
Reprodução/TVGlobo
Quadrilha roubou 720 kg de ouro no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e não disparou um tiro


A Justiça de São Paulo decidiu nesta quinta-feira (1) prorrogar as prisões temporárias dos três investigados por participação no roubo a cerca de 720 quilos de ouro no Aeroporto de Guarulhos no último dia 25. Com as medidas, eles ficaram mais cinco dias, ao menos, detidos.

 Os detidos são Peterson Patricio, que trabalha no aeroporto, Peterson Brasil, amigo de Patrício, e Célio Dias, que trabalha no estacionamento onde teria acontecido o segundo transbordo do ouro. O roubo aconteceu no último dia 25.

Leia também: Polícia já ouviu 13 testemunhas sobre roubo de ouro em Guarulhos

A polícia já ouviu ao menos 13 testemunhas do assalto. Durante a semana, passou a ouvir também funcionários das empresas aéreas que levariam o ouro: Swiss e Air Canada. 

“O trabalho de apuração prossegue para identificar outros envolvidos no roubo . Novos detalhes sobre as apurações acontecerão em momento oportuno. O procedimento visa preservar a investigação e evitar desvios na linha de trabalho”, informou o DEIC, em nota.