Tamanho do texto

Suspeitos usaram viaturas clonadas da Polícia Federal e vestiam uniformes e distintivos da PF; eles fizeram um funcionário do aeroporto de refém

Carro da PF usado em roubo de ouro em aeroporto arrow-options
Reprodução
Carro usado no crime imitava carro da Polícia Federal

Oito homens fortemente armados invadiram o terminal de cargas do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 14h30 desta quinta-feira (25). Eles entraram no armazém de exportação e roubaram 750 kg de metais preciosos, incluindo ouro, que seriam exportados para Zurique e Nova York. Não houve tiroteio ou feridos. 

Leia também: Médica é presa após tentar matar companheira de ex-marido em Nova Iguaçu

Os suspeitos estavam em dois carros que imitavam viaturas da Polícia Federal, sem placas. Eles também vestiam uniformes de policiais federais e distintivos. Eles renderam um funcionário do aeroporto para entrar e roubaram a carga de dentro de um carro forte.

Imagens obtidas pela GloboNews mostram que os criminosos obrigaram os próprios funcionários do aeroporto a colocar a carga, que está avaliada em mais de R$ 100 milhões, nos carros clonados , usando até mesmo o auxílio de empilhadeiras.

Carros clonados foram abandonados arrow-options
Reprodução/TV Globo
Carros clonados foram abandonados na região do Jardim Pantanal, zona leste de São Paulo

Os suspeitos teriam fugido levando um refém. Segundo o Inspetor De Paula, da Polícia Rodoviária Federal , em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Band , os homens abandonaram os carros usados no crime nas imediações do Jardim Pantanal, na zona leste de São Paulo. Segundo a Band , o refém já teria sido liberado.

Ainda de acordo com o inspetor De Paula, eles continuaram a fuga em duas caminhonetes brancas no sentido do Rio de Janeiro. Ainda não se sabe se eles seguiram pela Rodovia Presidente Dutra ou pela Rodovia Ayrton Senna.

Leia também: Avião que transportava vítima de acidente aéreo cai no interior do Amazonas

O aeroporto de Guarulhos divulgou uma nota na qual afirma que “a situação não prejudica a operação de embarque e desembarque do Aeroporto”. “A ação está sendo investigada por todas as autoridades de polícia em atuação no aeroporto”, diz o texto.