Tamanho do texto

Segundo informações, o ataque criminoso teria sido motivado após ele ter produtos que vendia apreendidos. Entretanto, há outra versão que aponta que o homem chegou dizendo ser de um 'movimento revolucionário'

Prédio arrow-options
Reprodução
Homem invadiu prédio da superintendência da Prefeitura na Barra da Tijuca e atirou coquetéis molotov no segundo andar, colocando fogo no local

Um homem invadiu a Subprefeitura da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e atirou duas garrafas de coquetel molotov, incendiando o segundo andar do prédio na Avenida Ayrton Senna, na manhã desta quarta-feira. Segundo informações, o ataque criminoso teria sido motivado após ele ter produtos que vendia apreendidos. Entretanto, há outra versão que aponta que o homem chegou dizendo ser de um 'movimento revolucionário'.

Leia também: Mãe e filha são mortas a tiros dentro de casa por briga de herança

Segundo informações, Paulo Roberto Sales Rocha, 52 anos, chegou por volta das 9h30 no segundo andar, mandou os funcionários que estavam no prédio saírem e jogou as garrafas que estavam cheias de combustível. "Usamos todos os extintores possíveis e o fogo continua. Ele tacou duas garrafas de coquetel molotov", diz uma funcionária que trabalha no local.

Uma outra pessoa que trabalha no prédio disse que ele estava "revoltado" e parecia estar sob efeito de drogas. "Ele é ambulante de praia e levou várias multas do CCU (Coordenadoria de Controle Urbano). Veio muito revoltado pois achava que estava sendo perseguido. Devia estar sob efeito de drogas, pois a guarda disparou duas vezes com choque e ele nem se abalou. No terceiro disparo caiu e os guardas conseguiram neutralizar ele", disse uma testemunha. 

A Guarda Municipal confirmou que foi necessário o uso da pistola de eletrochoque para contê-lo, "pois ofereceu muita resistência na abordagem". Ele foi preso, levado inicialmente levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge e depois para a 16ª DP (Barra da Tijuca), onde o caso foi registrado. Com ele foram apreendidos um isqueiro, duas garrafas com líquido inflamável transparente e uma mochila. Um guarda municipal também foi atendido no hospital por ter inalado muita fumaça, mas já foi liberado.

Cerca de 15 pessoas trabalhavam no prédio da Superintendência da Barra da Tijuca. Eles foram encaminhados para prestarem depoimento na 16ª DP, que vai investigar o caso e apurar a real motivação do ataque do homem. De acordo com a 16ª DP (Barra da Tijuca), Paulo foi preso em flagrante pelo crime de incêndio qualificado. Agentes realizaram uma perícia no local.

Leia também: Moro parabeniza Polícia Federal pela prisão de suspeitos de invadir seu celular

O prédio foi interditado pela Defesa Civil municipal para avaliar se houve danos estruturais. Corpo de Bombeiros foi acionado às 9h10 para o local e o incêndio foi totalmente controlado às 10h55. Ninguém ficou ferido.