Tamanho do texto

As duas vítimas do abuso admitiram que comprariam drogas na Favela da Mangueira; Polícia Militar do Rio de Janeiro e a SuperVia apuram o caso

Jovens Abusados por supostos PMs no Rio
Reprodução/TV Globo
Os jovens, de 17 e 18 anos, admitiram que são usuários e que comprariam droga na zona norte do Rio de Janeiro

Um vídeo enviado ao WhatsApp do jornal O Dia mostra supostos PMs obrigando dois jovens a praticarem sexo oral próximo à estação Maracanã da SuperVia, no Rio de Janeiro, após abordá-los em uma composição. Segundo uma reportagem do RJTV2 , os dois adolescentes que aparecem nas imagens denunciaram que sofreram abusos por homens que se identificaram como policiais e funcionários da SuperVia.

Leia também: Bandidos usam guindaste para roubar caixa d'água em condomínio do Rio de Janeiro

As cenas foram gravadas no último domingo e divulgadas na internet. Nas imagens, pelo menos três homens cercam os jovens e fazem ameaças. "Vai continuar comprando maconha?", diz um deles, armado com uma pistola, enquanto debocham das vítimas durante as cenas de abuso no Rio de Janeiro .

Os jovens, de 17 e 18 anos, admitiram que são usuários de drogas e que iam comprar maconha na comunidade da Mangueira, na Zona Norte. No entanto, segundo a reportagem, eles alegaram que, no momento da abordagem dos supostos policiais, não carregavam drogas.

Um familiar de uma das vítimas formalizou um queixa na 3ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar e, segundo a Polícia Militar , diligências estão sendo realizadas para verificar se há envolvimento de policiais militares na ocorrência.

Leia também: Agente penitenciário 'se confunde' e fuzila carro de família no Rio; assista

Procurada, a SuperVia informou que considera "lastimável esse fato registrado dentro do sistema da ferroviário no último domingo". A concessionária abriu sindicância interna e está apurando com rigor o ocorrido para tomar as medidas cabíveis. Caso seja constatada a participação de funcionários ou empregados terceirizados, todos serão desligados. Além disso, a empresa se coloca à disposição da polícia para auxiliar nas investigações.

Confira as notas na íntegra:

"A SuperVia considera lastimável esse fato registrado dentro do sistema da ferroviário, no último domingo (07/07). A concessionária abriu sindicância interna e está apurando com o rigor o ocorrido para tomar as medidas cabíveis. Caso seja constatada a participação de funcionários ou empregados terceirizados, todos serão desligados. Além disso, a empresa se coloca à disposição da polícia para auxiliar nas investigações.

Além de ferir leis vigentes, o ato cometido contra os dois jovens é um desrespeito à dignidade humana e vai contra as premissas de ética e decoro da concessionária. Vale reforçar que todos os funcionários do setor de segurança da empresa são intensamente treinados para agir com idoneidade e respeito em qualquer uma das situações vivenciadas no sistema. A capacitação inclui temas como “Controle Emocional e Administração de Conflitos”, e “Código de Ética, Conduta e Postura”, dentre outros".

Leia também: Foto de eclipse tirada por brasileiro é a "Imagem do Dia" da Nasa

"A Assessoria de Imprensa da Polícia Militar do Rio de Janeiro esclarece que pelas imagens mostradas no vídeo, não é possível identificar se são policiais militares. Parente de uma das vítimas formalizou queixa na 3ª Delegacia de Policia Judiciária Militar, que está realizando diligências para verificar se há envolvimento de policiais militares nesta ocorrência".