Tamanho do texto

Magistrado do Paraná resmungou ao se ver contrariado por ter que intimar autor de ação já que "não pode o advogado pegar a porcaria do telefone"

juiz
Divulgação/CNJ
Em despacho, juiz reclamou que advogado não pode "pegar a porcaria do telefone para avisar" o autor de ação

Um juiz do Paraná se viu contrariado ao ter que expedir mandado de intimação ao autor de um processo e decidiu soltar os cachorros em seu despacho. No texto, assinado no último dia 15 de maio e que viralizou nas redes sociais no início desta semana, o magistrado Gustavo Adolpho Perioto reclama: "Brasileiro tem muito direito e pouca obrigação".

Leia também: Em carta, Lula diz que "poderosos" querem impedir que STF aprove habeas corpus

A reclamação do juiz da Vara Cível de Paraíso do Norte se deu após o magistrado atender ao pedido da defesa de Leandro Marques da Silva, autor de processo contra a Seguradora Líder-DPVAT (administradora do seguro DPVAT ), para que fosse realizada nova perícia. Leandro pede complementação de indenização securitária por invalidez permanente causada por um acidente de trânsito ocorrido no município de Mirador (PR).

Adolpho Perioto escreveu: "O autor não paga para ingressar com o processo. Não paga a perícia. Se perder o processo, como acontece na maioria dos casos, também não paga nada.
Designada a perícia, não pode o advogado pegar a porcaria do telefone para avisar o autor. Pede mandado para intimá-lo. Pior, o TJPR endossa tal prática".

Na sequência, o magistrado concluiu sua bronca com a declaração de que o brasileiro "tem muito direito e pouca obrigação", e pediu nova data para a realização da perícia.

Leia também: Sérgio Cabral está apto a receber visitas íntimas de Adriana Ancelmo na cadeia

Por fim, o juiz se referiu ao autor do processo com ironia, usando pronome de tratamento reservado a altas autoridades. "Intime-se sua Excelência, o autor, por mandado. Nos demais casos semelhantes, deve a secretaria expedir desde logo o mandado".