Tamanho do texto

Execução do pastor Anderson do Carmo é a principal linha de investigação, mas outras hipóteses não foram descartadas pela polícia

Deputado marido de Flordelis
Reprodução
Marido de Flordelis foi executado


Uma desavença familiar pode ter motivado o assassinato do pastor Anderson do Carmo de Souza, de 42 anos, marido da deputada federal Flordelis (PSD), na casa do casal em Pendotiba, em Niterói. Ele foi morto com pelo menos 15 tiros durante a madrugada deste domingo, no condomínio onde morava junto com a esposa. Execução é a principal linha de investigação da polícia, mas outras linhas não foram descartadas pelos policiais.

Leia também: Marido da deputada Flordelis é executado dentro de casa em Niterói

Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) já sabe que antes da ação dos criminosos, um dos cachorros de Flordelis foi dopado para não alertar os vizinhos durante a ação dos assassinos. Os agentes já sabem também que pelo menos três homens, encapuzados, participaram do crime.

Leia também: "Cristãos em perigo", diz Feliciano sobre criminalização da homofobia

"Houve uma desavença entre o Anderson e um parente por conta de dinheiro. Essa briga causou um racha e essa é a nossa principal linha de investigação", disse um agente ao DIA .

Na manhã deste domingo, três filhos do homem prestaram depoimento na especializada, que fica no Centro de Niterói. Por estar dopada, a deputada federal Flordelis — que viu o marido ser morto — não consegui ainda prestar esclarecimentos à polícia. Ela está a base de remédios e em choque. Parentes, amigos e frequentadores do Ministério Flordelis, que fica no Galo Branco, em São Gonçalo, acompanharam os depoimentos.