Tamanho do texto

Edi Alves Guimarães estava indo trabalhar em um ônibus de Belo Horizonte, quando passou mal por conta da fumaça; ela está em coma induzido

fumaça
Reprodução
Fumaça causada por manifestantes fez mulher entrar em coma em Belo Horizonte

Apesar da adesão abaixo do esperado, a greve geral convocada para esta sexta-feira (14) causou bastante alarde nas maiores cidades do Brasil. Em Belo Horizonte, no entanto, a manifestação pode ter uma consequência grave. Uma mulher de 52 sofreu duas paradas cardiorrespiratórias ao inalar a fumaça de um dos protestos e agora está em estado grave.

Leia também: Greve geral paralisa serviços e transportes em todo o Brasil

Edi Alves Guimarães estava dentro de um ônibus indo para o trabalho, quando acabou inalando a fumaça e passou mal. Ele foi internada no Hospital Risoleta Neves e está em coma induzido. De acordo com a Polícia Militar, o incidente aconteceu logo no início da manhã, na Avenida Antônio Carlos.

Segundo o relato dos policiais , manifestantes colocaram fogo em pneus para impedir a passagem na avenida e a fumaça tóxica tomou conta do local. Quando perceberam que a mulher estava passando mal, os próprios policiais prestaram os primeiros socorros e acionaram a ambulância. Ninguém foi preso.

Leia também: Carro avança e atropela manifestantes no Rio de Janeiro; assista

Aline Souza, amiga da vítima, disse, em entrevista à TV Globo, que Edi trabalha como encarregada de limpeza em uma empresa perto do local do incidente. Ela é casada e tem oito filhos.